Fora da Olimpíada, ginasta Laís Souza é operada

Após sofrer uma queda em um treinamento, a atleta foi submetida nesta quinta-feira a uma cirurgia no Hospital Samaritano, em São Paulo

São Paulo – Cortada na semana passada da seleção brasileira de ginástica que disputará os Jogos Olímpicos de Londres, após sofrer uma queda em um treinamento realizado na cidade inglesa de Ipswich, a ginasta Laís Souza foi submetida nesta quinta-feira a uma cirurgia no Hospital Samaritano, em São Paulo, por causa de uma fratura no quarto metacarpo da mão direita.

Segundo o boletim médico divulgado pelo hospital, o procedimento cirúrgico foi realizado com sucesso e a atleta poderá ter alta já na tarde desta quinta. Além disso, o Samaritano informou que a previsão é a de que ginasta retorne aos treinos daqui a três meses.

Laís se machucou no último sábado durante treino nas paralelas em Ipswich, onde a equipe está concentrada para aclimatação e fase final de preparação para a Olimpíada. Após o corte de Laís, Ethiene Franco foi definida como substituta da atleta na seleção brasileira.

Anteriormente, Laís só foi chamada para a seleção por causa do corte de Jade Barbosa, que não atendeu à convocação para reunião da equipe nacional para uma semana de treinos no Rio. Segundo a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), a atleta não justificou a ausência, mas vinha tendo conflitos com a entidade por se recusar a usar uniformes com marcas as quais não tivesse patrocínio individual. Em seguida, ela acabou sendo cortada, mesmo sendo tida como a principal esperança de medalha olímpica da ginástica artística feminina do Brasil.

Sem Jade e Laís, a seleção brasileira feminina da modalidade contará com as seguintes atletas nos Jogos de Londres: Ethiene Franco, Daniele Hypolito, Adrian Gomes, Daiane dos Santos e Bruna Leal.