Fifa se nega a dar dados de Neymar à Justiça espanhola

Para que isso ocorra, a Fifa exigiria que a Interpol faça o pedido

Genebra – Citando a exigência de guardar sigilo em relação aos contratos internacionais, a Fifa se recusa a entregar para a Justiça espanhola os dados que possui sobre o valor da transferência de Neymar do Santos para o Barcelona. Para que isso ocorra, a Fifa exigiria que a Interpol faça o pedido.

A Audiência Nacional na Espanha investiga o caso e exigiu que o Barcelona entregasse toda a documentação sobre o assunto. Mas a Justiça também tentou verificar se os contratos eram reais, comparando com os valores que foram comunicados pelo Barcelona à Fifa.

Há três anos, a entidade criou um sistema que exige que clubes informem à Fifa o valor de uma transação, quem recebeu e em que conta. A meta é garantir que o futebol não seja usado como instrumento de lavagem de dinheiro e que se saiba quem é o proprietário de um jogador.

A Fifa, portanto, confirma que recebeu o contrato de Neymar, de agosto de 2013. Mas aponta que não tem o direito de entregá-lo para a Justiça espanhola. Isso ocorreria apenas se a Justiça na Espanha fizesse um pedido oficial de cooperação à Justiça da Suíça que, por sua vez, faria a solicitação para a Fifa. Outro caminho seria o envolvimento da Interpol.

“Somente podemos dar informações de um contrato que é confidencial se formos notificados oficialmente por canais jurídicos internacionais”, indicou a entidade que comanda o futebol mundial.

A Fifa, por meio de um comunicado, também alerta que não tem qualquer intenção de iniciar um processo contra o Barcelona ou contra o jogador. “Processos civis somente podem ser iniciados sob o pedido de uma das partes”, indicou.

Em sua edição desta sexta-feira, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que advogados da Fifa consideram que a carta feita pelo Santos autorizando a empresa N&N de negociar a venda de Neymar blinda o Barcelona de qualquer processo.

Há uma semana, o novo presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, admitiu que a transação total para contratar o craque brasileiro custou 86,2 milhões de euros aos cofres do clube. Porém, o dirigente garantiu que o Barça não mentiu quando anunciou anteriormente que o jogador foi contratado por 57,1 milhões de euros. Ele explicou que o restante do valor é referente a luvas, parcerias sociais entre o clube e a Fundação Neymar e ações de marketing.