Festa do Oscar será homenagem aos musicais

O show, que acontece no teatro Dolby, em Hollywood, terá apresentações da britânica Adele, da lendária diva Barbra Streisand e da jazzista Norah Jones

Los Angeles – Não se sabe se cantarão na chuva, mas alguém talvez exclame “Mamma mia!” quando Jean Valjean se perguntar “Quem sou eu” e outra pessoa responder “Isso é Chicago”: a festa de entrega do Oscar, no próximo domingo, será uma homenagem aos musicais.

O show, que acontece no teatro Dolby, em Hollywood, terá apresentações da britânica Adele, da lendária diva Barbra Streisand e da jazzista Norah Jones. Além de Shirley Bassey, veterana voz de várias canções do agente 007.

Muitas surpresas são aguardadas da parte de Seth MacFarlane, o irreverente criador das séries de animação “Family Guy” e “American Dad”, que apresentará pela primeira vez a cerimônia.

Um dos números mais aguardados da noite é a paródia de “The Master of the House”, canção do filme – candidato ao prêmio máximo – “Les Misérables”. MacFarlane é cantor e pianista.

Os produtores do Oscar, Craig Zadan e Neil Meron, anunciaram que a festa celebrará os musicais da última década, com homenagens especiais a “Chicago”, “Dreamgirls” e “Les Misérables”, que concorre a oito estatuetas.

“Chicago”, cuja produção esteve a cargo de Zadan e Meron, triunfou com seis Oscars em 2003 e foi, até o momento, o último musical a ganhar o prêmio de melhor filme.

A experiência passada dos produtores, que estão por trás de outros musicais de sucesso como os televisivos “Annie” e “Cinderela”, além do clássico dos anos 1980 “Footloose” (1984 e 2011) e o remake “Hairspary” (2007), ajudou a conduzir naturalmente o show à temática musical.

“O musical como gênero cinematográfico viveu um notório renascimento na última década”, afirmou a dupla em comunicado divulgado em janeiro, ampliado pouco depois que as estrelas de “Chicago” Renée Zellweger, Catherine Zeta-Jones, Richard Gere e Queen Latifah participarão da entrega de prêmios.


Ainda não sabemos se os artistas indicados por “Les Misérables” — Anne Hathaway e Hugh Jackman — farão algum número, mas curiosamente o casal já fez um duo em 2009, quando Jackman foi o anfitrião da premiação.

Se Zadan e Meron não revelaram se a homenagem ao gênero musical incluirá mais filmes, a revista especializada HitFix disse considerar “um pouco estranha a exclusão de ‘O Fantasma da Ópera’, ‘Sweeney Todd’ e ‘Nine'”, que também já foram indicadas ao Oscar.

Outros apostam que será feito um tributo a “Mamma mia!”, com Meryl Streep; “Os Produtores”, com Matthew Broderick e “Rock of Ages”, com Tom Cruise.

Na falta de certezas, as expectativas se concentram no anfitrião da noite, Seth MacFarlane, que criou a comédia “Ted”, sobre um ursinho de pelúcia maconheiro e desbocado.

MacFarlane, expert do politicamente incorreto, é um músico reconhecido que faz os números musicais de suas séries animadas e lançou um álbum de “big band” em 2011.

Norah Jones interpretará “Everybody Needs a Best Friend”, composição de MacFarlane para “Ted” e indicada a melhor canção original.

Numa noite que prestará tributo aos 50 anos da saga de James Bond, Adele cantará “Skyfall”, co-escrita por ela para o último filme do agente 007, também indicada ao prêmio de melhor canção.

Quando um jornalista perguntou a Adele, na entrega dos Grammy na semana passada, como ela se preparava para sua atuação no palco dos Oscar, ela respondeu sem hesitar que estava “passando mal” de tanto medo.

À lista de vozes se somará Shirley Bassey, cantora britânica de 76 anos, conhecida por interpretar as principais músicas dos filmes de James Bond “Goldfinger”, “Os diamantes são eternos” e “Foguete da Morte”.


Por último, Barbra Streisand, de 70 anos, aparece pela primeira vez nos Oscar desde 1977, quando cantou a canção vencedora de “Nasce uma Estrela”.

“Como uma noite que celebra o talento no cinema e na música poderia estar completa sem Barbra Streisand?”, questionaram os produtores.