Ferrari venderá modelo quase igual a um carro de Fórmula 1

Supercarro conversível que é considerado o mais parecido com um carro da Fórmula 1 já construído para o mercado público

A Ferrari apresentou um supercarro conversível que é considerado o mais parecido com um carro da Fórmula 1 já construído para o mercado público.

O Monza, de fibra de carbono, de 810 cavalos de potência, terá versões de um e dois assentos, disseram o diretor de marketing da Ferrari, Nicola Boari, e chefe de design, Flavio Manzoni, nesta terça-feira da sede da empresa em Maranello, Itália. A Ferrari fabricará menos de 500 unidades das máquinas de 12 cilindros, capazes de chegar a 100 quilômetros por hora em menos de três segundos.

O Monza Sp1 e o Monza Sp2 fazem parte de um plano de estratégia de cinco anos muito aguardado que será apresentado nesta terça-feira pelo CEO Louis Camilleri, que substituiu Sergio Marchionne, falecido em julho. O novo CEO planeja ampliar a oferta de supercarros de edição limitada da Ferrari — normalmente vendidos por mais de US$ 1 milhão — e vender o primeiro SUV na história da empresa para aumentar as margens de lucro, disseram pessoas a par do assunto à Bloomberg News.

A estratégia de Camilleri para a fabricante de carros de corrida será acompanhada com atenção pelos investidores, especialmente para saber se ele manterá o objetivo de dobrar o lucro para 2 bilhões de euros (US$ 2,3 bilhões) até 2022, plano proposto por Marchionne. Camilleri foi escolhido para o cargo por John Elkann, o líder da família Agnelli, que controla a Ferrari e a Fiat Chrysler Automobiles, durante um fim de semana dramático de julho, quando a saúde de Marchionne piorou.

Monza

O Monza é o herdeiro do icônico modelo Barchetta, disse Camilleri. O preço será divulgado no Salão do Automóvel de Paris no mês que vem. Os Monzas já foram atribuídos a alguns dos clientes mais fiéis da Ferrari, que tiveram uma pré-estreia do carro na noite da segunda-feira.

Modelos de edição especial podem ajudar Camilleri a aumentar o lucro sem que a marca perca a exclusividade. Os clientes da Ferrari normalmente precisam esperar mais de um ano para receber um carro novo. Edições limitadas como o conversível LaFerrari Aperta, de US$ 2,1 milhões, são muito procuradas e vão para os clientes mais fiéis da empresa. A companhia também enfrenta a concorrência de marcas como Lamborghini e Aston Martin.

O novo CEO da Ferrari tem um exemplo difícil de igualar, porque Marchionne aumentou o valor da Ferrari separando-a da Fiat Chrysler e dobrando os lucros em apenas quatro anos, aumentando a produção e lançando modelos únicos. O ex-CEO, que morreu em 25 de julho, estava se preparando para expandir a fabricante para mais do que carros esportivos e para lançar veículos elétricos híbridos, incluindo seu primeiro SUV. O SUV não deverá ser exibido na apresentação estratégica planejada.