Ferrari lidera primeiro dia de testes da Fórmula 1 em Barcelona

F1 iniciou os treinos de pré-temporada e Sebastian Vettel foi o mais rápido de segunda, enquanto a Mercedes de Lewis Hamilton preferiu “esconder o jogo”

A máxima do futebol de que treino é treino, jogo é jogo também vale no automobilismo. Mas nem por isso deixou de ser destaque a primeira colocação de Sebastian Vettel com sua Ferrari no primeiro dia de testes da Fórmula 1 em 2019 – a pré-temporada terá oito dias nesta semana e na próxima em Barcelona, na Espanha.

Mais importante do que o tempo de 1min18s161, registrado ainda pela manhã, garantindo assim o topo da tabela por toda sessão, a equipe italiana destacou a forte confiabilidade do novo carro de 2019, percorrendo impressionantes 169 voltas – equivalente a mais de dois Grandes Prêmios e meio.

Ainda mais surpreendente foi ver neste primeiro dia da F1 em 2019 – que tem sempre um que de “volta às aulas” para pilotos e equipes – ver a McLaren no segundo lugar, com seu novo piloto: Carlos Sainz, fazendo a alegria dos espanhóis em uma sessão que marca a ausência pela primeira vez desde 2001 de Fernando Alonso na F1.

Com motor Renault, Sainz virou 1min18s558 – mas no caso da McLaren a explicação veio com o uso do pneu mais macio, o C4 (o segundo mais macio e, portanto, mais rápido disponível em Barcelona). Vettel, por exemplo, usou o pneu médio (C3), o mesmo utilizado pela Haas fazer o terceiro tempo com o francês Romain Grosjean.

Já a Mercedes preferiu focar no desenvolvimento do carro com pneus mais duros – o que proporciona voltas mais lentas, escondendo assim o jogo. Pela manhã, Valteri Bottas registrou 1min20s127, praticamente o mesmo que Lewis Hamilton registrou à tarde, apenas 0s08 mais lento. Na pré-temporada, todas as equipes treinam apenas com um carro, que precisa ser compartilhado com os dois pilotos.

O dia também marcou a volta da Alfa Romeo às pistas – novo nome da Sauber, que teve ao volante o campeão mundial Kimi Raikkonen. O finlandês registrou o quinto tempo, logo atrás de Max Verstappen, da Red Bull. A má notícia do dia foi para a equipe Williams – que não teve o carro de 2019 pronto e não foi para a pista, situação que deve se repetir amanhã.

Com temperaturas relativamente amenas no inverno catalão (chegou a fazer 18 graus Celsius à tarde, similar ao encontrado na maioria dos GPs), as equipes avaliaram como positivo o primeiro dia, sobretudo aquelas que conseguiram dar mais de 100 voltas. Na Ferrari, obviamente, se evitou comemorar o primeiro resultado positivo – é apenas um treino. Mas começar na frente na F1 é sempre importante – ainda que seja só a pré-temporada.