Fernanda Gentil diz como contou a seu filho sobre namorada

"Preparei toda a palestra com começo meio e fim. E ele disse 'é só isso?'", disse a jornalista

A jornalista Fernanda Gentil, que assumiu o namoro com Priscila Montandon em setembro de 2016, revelou como contou a seu filho Lucas, de 8 anos, que está namorando uma mulher.

“Preparei toda a palestra com começo meio e fim. E ele disse ‘é só isso?'”.

Fernanda está apresentando temporariamente o programa Saia Justa, no GNT. Na edição desta quarta-feira, 6, ela falou sobre a naturalidade com o que filho entendeu o seu namoro com uma mulher.

A jornalista disse que pensou muito sobre a informação que seria dada. “Lá em casa falo que não tem problema ter amigo negro, gordo, feio, bonito, gay, mas o fato de eu namorar uma mulher eu ia esconder?”, se questionou.

Para contar a Lucas, ela montou “uma palestra, com início meio e fim; um Power Point com luz e fumaça”, brincou a jornalista. “E o Lucas c.. na minha cabeça, e perguntou: ‘É só isso? Pode ir para a escola? Eu adora ela, não tem problema nenhum'”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Que coisa nojenta!

  2. Alberto de Araujo

    A infância de uma criança deve ser estimulada. Faz parte de uma personalidade que se formará com o passar dos tempos. Antecipar o ser adulto será um risco que no futuro pode custar caro ao adulto de amanhã. Criança de oito anos não entende o namoro de adultos. Em seu mundo de fantasia pouco importa informações a respeito. O que é bom. Quando se abordo sempre qualquer assunto é exemplo de insegurança. A segurança que expõe é uma farsa.

  3. Essa moça é tão banaca. Bonita e, por sinal, muito espirituosa. Porém, creio, há algo de errado na vida dela. Confesso que não vejo necessidade dela extrapolar os limites da sua residência para contar que fez isso, fez aquilo, etc. Ela, parece-me, é daquelas pessoas que precisam estar na crista da onda, ser objeto de comentários constantes, fofocas, etc. Não precisas de nada disso Fernanda. Sejas feliz como melhor te aprazer e pronto. A psicologia deve explicar essa necessidade que têm as pessoas de falar abertamente da sua vida. A mim dá a impressão que essa atitude tem o condão de suprir alguma lacuna que ficou lá atrás, sei lá!