Famílias dividem torcida na fronteira Brasil-Colômbia

Moradores de Letícia, cidade colombiana que faz fronteira com o município brasileiro de Tabatinga, se dividirão na torcida durante a partida de hoje

Brasília – Em alguns lares da região da fronteira entre Brasil e Colômbia, a torcida durante a partida de hoje (4) vai estar dividida entre os dois países. Mãe e esposa de colombianos, a dona de casa brasileira Silvana Castelo Branco mora em Letícia, cidade colombiana que faz fronteira com o município brasileiro de Tabatinga e vai estar vestida com as cores do Brasil “da cabeça aos pés”.

“Meu filho de 6 anos disse fez o pai dele escrever para a Fifa pedindo que não tivesse jogo entre o Brasil e a Colômbia. Mas pelo visto não adiantou. Para hoje, ele reservou uma camiseta branca e vai ficar feliz com qualquer resultado”, disse Silvana, que com o coração apertado acha que o resultado vai ser 2 a 1 para a Colômbia.

Já a professora brasileira Camila Bonfim, moradora de Tabatinga e também casada com um colombiano, resolveu assistir à partida longe do marido. “Cada um com sua turma, eu com minha família aqui em casa e ele vai para um bar ficar com os amigos colombianos, só assim para não ter confusão em casa.”

Nas famílias de duas nacionalidades, os filhos ficam divididos. Francisca Souza, que também mora em Tabatinga, disse que o filho, brasileiro, de 17 anos, vai torcer pelos dois times. “Ele viu o quanto ele sofreu no último jogo, mas não tem coragem de desapontar o pai colombiano” contou a dona de casa.

As três brasileiras casadas com colombianos concordam que o time do país vizinho está melhor que a seleção verde e amarela. “A gente tem que reconhecer que o Brasil não está jogando muito bem, está passando na sorte. Mas com isso a torcida aumenta para ganhar e hoje acho que nós [brasileiros] vamos vencer nos pênaltis”, disse Francisca.