Ex-presidente do Barça depõe sobre contratação de Neymar

Sandro Rosell compareceu à Audiência Nacional, principal instância penal espanhola, pela manhã em Madri e não quis falar com a imprensa

Madri – Um juiz espanhol recebeu nesta terça-feira o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, para depor como parte da investigação sobre um suposto fraude fiscal na contratação do astro brasileiro Neymar.

Rosell compareceu à Audiência Nacional, principal instância penal espanhola, pela manhã em Madri e não quis falar com a imprensa.

O juiz convocou Rosell após receber uma denúncia da Receita espanhola, que calcula o montante dos valores “não percebidos” pelo Tesouro Público em 2,4 milhões em 2011 e 6,7 milhões em 2013, ou seja, mais de nove milhões de euros em impostos sonegados, fruto de contratos assinados nesses anos.

A transferência de Neymar, que assinou com o Barcelona por cinco temporada em maio de 2013, originou um grande escândalo quando um sócio do clube apresentou uma acusação de “apropriação indevida” contra Rosell, que acabou entregando o cargo.

Após a saída de Rosell, em 23 de janeiro, a nova diretoria do clube, encabeçada por Josep Maria Bartomeu, revelou que o valor total da compra do jogador brasileiro foi de 86,2 milhões, pagos em diversas operações assinadas em paralelo.

Em 24 de fevereiro, o Barcelona anunciou o pagamento de 13,5 milhões de euros à Receita espanhola, uma “regularização voluntária” com o objetivo de dar “cobertura às eventuais interpretações que se podem dar a todos os contratos assinados na contratação de Neymar, apesar de estarmos convencidos do comprimento de todas as obrigações fiscais”.

“Sempre cumprimos com nossos compromissos fiscais, nossa dívida com a fazenda é zero. O Barça não deve nada”, garantiu neste dia Bartomeu.