EUA tentam recuperar liderança do quadro de medalhas

O Comitê Olímpico Americano anunciou que o país estará representado em 25 esportes (38 modalidades) e que seus atletas disputarão 246 medalhas

Los Angeles – Pela primeira vez na história, a delegação americana será formada em uma edição dos Jogos Olímpicos por um maior número de mulheres (269) que de homens (261), atletas que terão como objetivo principal recolocar os Estados Unidos no topo do quadro de medalhas, após a derrota para a China em 2008.

O Comitê Olímpico Americano anunciou que o país estará representado em 25 esportes (38 modalidades) e que seus atletas disputarão 246 medalhas.

”Os EUA serão representados nos Jogos Olímpicos de Londres por 530 de nossos melhores atletas. Eles representam bem o que é ser americano”, disse o diretor da entidade, Scott Blackmun, que falou sobre o Título IX, lei histórica do país que garante oportunidades iguais para homens e mulheres em universidades e nos esportes.

”Em seus 40 anos de história, a lei conseguiu aumentar as oportunidades para milhões de mulheres em todo o país”, completou Blackmun.

Desse grupo, 228 atletas disputaram os Jogos de Pequim, e para sete delas, esta será a oportunidade de participar de uma Olimpíada pela quinta vezes. Nessa situação estão Amy Acuff (salto em altura), Phillip Dutton (hipismo), Khatuna Lorig (tiro com arco), Emil Milev (tiro) e Danielle Scott-Arruda (vôlei).

Entre os nomes mais famosos da lista aparecem os nadadores Michael Phelps e Natalie Coughlin. O primeiro, que obteve oito ouros em 2008, precisa de mais duas – seja de ouro, prata ou bronze – para igualar a ginasta russa Larisa Latynina e se tornar o atleta mais vitorioso na história olímpica.


Coughlin, com 11 medalhas, está a apenas duas de igualar Jenny Thompson e Dara Torres como as atletas femininas mais bem-sucedidas dos EUA na história.

A atleta mais velha da delegação será a amazona Karen O”Connor, de 54 anos, enquanto a mais jovem será a nadadora Katie Ledecky, de 15.

A equipe olímpica americana teve o maior número de medalhas nos Jogos de Pequim em números absolutos, com 110, mas a China levou a melhor no número de ouros: 51 a 36. Foi a primeira vez que o país não foi o primeiro colocado desde 1992, quando a delegação que ficou no topo da lista foi a da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), organização de países que pertenciam à União Soviética.

Segundo as previsões da imprensa especializada, incluindo o jornal ”USA Today”, pela primeira vez em 20 anos os EUA serão derrotados também no número total de medalhas, ficando atrás dos chineses.

Entre os principais candidatos a medalha estão o time de futebol feminino, as tenistas Venus e Serena Williams, a ginasta Jordyn Wieber, o lutador Jordon Burroughs, o velocista Tyson Gay, a dupla de vôlei de praia formada por Kerri Walsh e Misty May-Treanor e as seleções masculina e feminina de basquete.

A equipe masculina conta com Kobe Bryant, LeBron James e Kevin Durant como líderes, e vem sendo comparada ao ”Dream Team”, que encantou o mundo em 1992 com ídolos como Michael Jordan, Magic Johnson e Larry Bird.

”Se me perguntarem se poderíamos ganhar um jogo deles, diria que sim”, chegou a dizer Kobe, que depois voltou atrás e afirmou que houve apenas um time dos sonhos: o que foi ouro em Barcelona.