Estúdio de ‘Jogos Vorazes’ adaptará a ‘Odisseia’ de Homero para os cinemas

O novo longa-metragem ainda não tem atores escalados oficialmente, mas a direção já estaria nas mãos de Francis Lawrence; não há data de estreia confirmada

A franquia Jogos Vorazes chega ao fim em novembro deste ano, com a A Esperança – Parte 2. Mas o estúdio por trás da obra não pretende parar. Segundo informações do site Deadline, a Lionsgate deve começar a trabalhar em uma adaptação do clássico Odisseia, de Homero, assim que terminar seus compromissos com a história de Katniss.

O novo longa-metragem ainda não tem atores escalados oficialmente, mas a direção já estaria nas mãos de Francis Lawrence, enquanto o roteiro ficaria com Peter Craig e a produção com Nina Jacobson. Os três trabalharam em pelo menos dois dos filmes da série Jogos Vorazes, e Lawrence ainda foi responsável por Eu Sou a Lenda.

O épico grego tem como protagonista Ulisses (ou Odisseu, dependendo da versão traduzida e da mitologia), e relata a viagem do herói de volta a Ítaca, sua terra natal. A jornada é repleta de criaturas lendárias, como sereias e ciclopes, e o enredo ainda tem suas boas doses de drama e combates sangrentos – que renderiam uma trilogia de filmes sem muito esforço.

Não se sabe, porém, se o livro será adaptado em um ou mais longas-metragens. Mas a julgar pelo histórico da Lionsgate, o segundo cenário parece ser o mais provável, embora não haja datas de estreias confirmadas para nenhum dos possíveis filmes.

A nova obra cinematográfica, por sinal, não será a primeira a ter relação com o poema clássico de Homero. O filme E Aí, Meu Irmão, Cadê Você?, dirigido pelos irmãos Cohen e lançado em 2000, é uma das fitas baseadas livremente no conto, que já tinha virado longa em 1911.

Na música, por sua vez, a banda Cream, que tinha Eric Clapton, lançou em 1967 a canção The Tales of Brave Ulysses (As Histórias do Corajoso Ulisses, em tradução livre). E além deles, a Ilíada, que funciona como uma prévia da Odisseia, já foi adaptada – também livremente – em Troia, de 2004.

Fonte: Deadline