Estes 9 fatores podem fazer você adoecer (sem perceber) no trabalho

Segundo pesquisa da Harvard University’s School of Public Health, condições de trabalho adequadas são imprescindíveis para saúde e bem-estar das pessoas

São Paulo – As condições do ambiente em que você trabalha podem impactar negativamente a sua saúde física e cognitiva, pelo menos é isso que sugere uma cartilha lançada recentemente pela Harvard University’s School of Public Health. Nela, um grupo de pesquisadores, comandado pelo professor Joseph Allen, listou nove fatores que impactam diretamente o bem-estar das pessoas no ambiente de trabalho sem que elas percebam.

Desde 2014, Allen vem analisando como a qualidade do ar e da água, a temperatura, ventilação, barulho e outros fatores interferem na saúde das pessoas que costumam passar boa parte do dia dentro de escritórios. De acordo com o professor, embora ninguém dê muita importância para tais fatores, eles têm efeitos realmente dramáticos e perigosos, sendo responsáveis, inclusive, pelo agravamento de doenças respiratórias e até de alguns tipos de câncer.

Para se chegar a tal conclusão, os pesquisadores vêm analisando o comportamento e a saúde de voluntários que trabalham por dias seguindo em espécies de escritórios simulados. As pessoas costumam ficar expostas a cheiros de produtos químicos leves, como um simples limpador de carpete, a temperaturas que oscilam de extremamente quentes a frias, a umidade do ar não tão adequada a fim de verificar como reagem e o impacto que isso pode ter na saúde delas.

“Imediatamente, é possível observar que a função cognitiva dos participantes é significativamente afetada quando expostos aos fatores testados, incluindo tomada de decisões e atividades que precisam de foco para serem realizadas”, afirmou Allen – em um artigo publicado na The Harvard Gazette.

Com o extenso estudo, a ideia do pesquisador e sua equipe é tentar conscientizar as empresas que, embora imperceptíveis, alguns fatores ambientais precisam de atenção e que o cheiro de um produto de limpeza pode ter impacto devastador na saúde física e mental das pessoas sem que elas se deem conta disso.

Em 2011, cientistas do Lawrence Berkeley National Laboratory e da Environmental Protection Agency chegaram a examinar os custos e benefícios da melhoria da qualidade do ar em prédios comerciais nos Estados Unidos. Eles chegaram à conclusão que um ar bom aumenta diretamente o desempenho das pessoas no trabalho, pois elas se sentem mais confortáveis para realizar suas funções, adoecem menos e consequentemente faltam menos. Na época, os pesquisadores estimaram que um ar para respirar adequado dentro do ambiente do trabalho poderia gerar economias de até 20 bilhões de dólares no longo prazo.

Allen também acredita nos benefícios econômicos que um ambiente de trabalho saudável pode gerar, por isso lançou a cartilha “The 9 Foundations of a Healthy Building” , que tem o intuito de convencer as empresas que investimentos para melhorar o ambiente interno dos escritórios podem resultar em funcionários mais felizes e produtivos. “Os benefícios para cuidar da saúde das pessoas podem impactar positivamente toda a empresa”, afirmou o pesquisador.

 (Harvard University’s School of Public Health/Reprodução)

Veja a seguir quais são os 9 fatores – listados por Allen e sua equipe – que impactam diretamente a saúde e bem-estar das pessoas dentro dos escritórios quando não estão adequados.

1 – Ventilação

Segundo a cartilha, edifícios que têm o sistema de ventilação mecânico podem muitas vezes ter o ar interno mais poluído que o ar da própria rua. Isso significa que as pessoas respiram mais poluentes do que se estivessem trabalhando ao ar livre em uma avenida de trânsito movimentado, por exemplo. É primordial que se invista em um sistema de ventilação adequado e que haja manutenção frequente nos equipamentos responsáveis pela circulação de ar.

2 – Qualidade do ar

Nem sempre uma circulação de ar adequada garante uma boa qualidade do ar, pois o ar pode ficar sujo com a simples presença de poluentes internos, como materiais de escritório e até os móveis usados no ambiente. A sugestão é que a escolha dos produtos usados internamente leve em conta a baixa emissão de poluentes químicos.

3 – Temperatura

Já a temperatura tem que ser confortável para todos e deve se manter sempre estável no decorrer do dia, ou seja, sem oscilações.

4 – Umidade

Assim como a temperatura, a umidade também deve sempre se manter estável. É preciso que haja também sempre inspeções para verificar algum foco de uma possível umidade.

5 – Poeira e pragas

A limpeza deve ser frequente, assim como o controle do surgimento de algum tipo de praga. O lixo é outro ponto que merece atenção e cuidado especial, pois normalmente é ele o responsável por atrair insetos e outros bichos.

6 – Segurança

Um edifício adequado e seguro reduz o estresse de todos que o habitam. É preciso que haja monitoramento por vídeo, equipes de prevenção contra incêndios e outros acidentes, saídas de emergências bem sinalizadas e boa iluminação.

7 – Qualidade da água

Assim como a qualidade do ar, a qualidade da água também merece atenção especial e precisa ser monitorada com certa frequência.

8 – Barulho

Os ruídos externos e os ruídos internos devem sempre ser controlados. Segundo a cartilha, a perda auditiva induzida por ruído pode levar a uma cascata de outros efeitos, incluindo a criação de barreiras de comunicação, limitação de concentração e atenção e aumento do estresse e da fadiga.

9 – Iluminação

A iluminação natural deve ser sempre priorizada, na ausência dela, a intensidade da luz elétrica deve ser adequada a fim de não prejudicar a visão.