Esta empresa criou uma cerveja de maconha com gosto bom

Maioria das bebidas com infusão de cannabis tem gosto ruim, mas a cerveja canadense é produzida diretamente a partir da planta

O interesse de empresas gigantes de bebidas alcoólicas como Constellation Brands e Molson Coors Brewing transformou as bebidas com infusão de cannabis no produto mais comentado da indústria da maconha, mas existe um problema reconhecido por muitos: o gosto delas é horrível.

Agora, uma minúscula empresa canadense acredita ter encontrado a solução. Em vez de misturar uma bebida com canabinoides como THC ou CBD, mascarando a mistura oleosa e amarga com açúcar como fazem muitas fabricantes de bebidas nos EUA, a Province Brands of Canada está desenvolvendo uma cerveja produzida diretamente a partir da planta de cannabis.

“Os produtos atualmente disponíveis são tão insatisfatórios que é difícil ver um futuro brilhante para as bebidas de cannabis, mas, como qualquer outra coisa, elas precisavam começar por algum lugar”, disse Dooma Wendschuh, CEO e cofundador da Province Brands, com sede em Toronto, em entrevista. A cerveja provavelmente também tinha gosto de pão mofado no começo, ressaltou Wendschuh.

A ideia da Province, com patente pendente, é substituir a cevada normalmente usada no processo de produção de cerveja pelos caules e raízes da planta de cannabis. Wendschuh está convencido de que, adicionando lúpulo e água, pode criar uma linha de bebidas não alcoólicas com sabor tão bom quanto o de qualquer cerveja no mercado. Elas podem não te deixar bêbado, mas sim drogado, porque contêm 6,5 miligramas de THC, o ingrediente psicoativo da cannabis.

O mercado tem grande potencial — relatório de setembro da Canaccord Genuity Group estimou que as vendas de bebidas misturadas com THC ou CBD atingirão US$ 600 milhões nos EUA até 2022. No Canadá, as formas comestíveis de cannabis serão legalizadas apenas no ano que vem.

Wendschuh cresceu em Miami e trabalhou na indústria de videogames, ajudando a desenvolver a franquia Assassin’s Creed, mas começou a repensar a carreira quando alguns estados começaram a legalizar a maconha. Ele gostou da ideia de desenvolver uma alternativa mais segura e saudável ao álcool e foi para o Canadá.

Ele começou a desenvolver sua cerveja em um pequeno laboratório na Loyalist College, em Belleville, Ontário, que oferece um programa de ciência aplicada à cannabis. No início de setembro, antes da legalização da maconha, os pesquisadores da Province estavam usando cânhamo para aperfeiçoar o processo de produção. O primeiro lote tinha espaço para melhora, admitiu a equipe, mas eles estavam otimistas de encontrar uma forma de refinar o sabor.

Abertura de capital

Para um cara que “sai por aí criticando a indústria do álcool a cada chance que tem”, a ideia de Wendschuh está atraindo muito interesse das fabricantes de cerveja. A Province assinou três cartas de intenção com fabricantes de cerveja canadenses que buscam ajuda para produzir versões de suas cervejas com cannabis, e uma com uma produtora licenciada de maconha, disse Wendschuh. Provavelmente haverá algum anúncio em breve, disse.

A empresa planeja abrir capital na TSX Venture Exchange por meio de uma aquisição reversa e está em meio de uma captação de 30 milhões de dólares canadenses por meio de uma colocação privada. E para atender a demanda antecipada, a empresa está se mudando para um espaço de 11.400 pés quadrados em Grimsby, Ontário, que terá capacidade para produzir até 51 milhões de garrafas por ano quando estiver operando a plena capacidade.