Drinques amargos marcaram a evolução da coquetelaria

O barman Fabio la Pietra, do SubAstor Bar, em São Paulo, ensinou três receitas de bebidas feitas com amaro exclusivamente para a VIP

Todo bar ou boteco que se preze tem sua garrafa de Cynar, de Campari ou qualquer um desses amaros que, por serem populares e baratos, tem quem os veja como de segunda linha. Nada mais falso.

Na história da coquetelaria, os amaros (também chamados de bitters ou fernets), que são compostos de ervas e, como o nome indica, com acentuado amargor, foram fundamentais para a evolução dos drinques, que começaram bem mais doces e leves que as receitas atuais. “Não é que não estejamos acostumados com o sabor amargo, é que o cérebro recebe e processa mais rápido a informação de quando ingerimos o doce, daí a nossa predileção. Mas é uma questão de aprendizado”, explica o barman Fabio la Pietra, do SubAstor Bar, em São Paulo.

A despeito da reserva do brasileiro com drinques mais fortes, o preconceito vem caindo. “Basta ver o negroni, drinque que praticamente ninguém tomava há cinco anos e virou uma febre”, conta La Pietra sobre o clássico italiano que leva gim, vermute e Campari. Bebidas de personalidade, os amaros transformam qualquer drinque e não têm uma receita única – cada casa trata de firmar a marca de sua mistura de folhas, flores, lascas de árvore e cascas de fruta. Os melhores rótulos são italianos (ver boxe). A seguir, três receitas de saborosos drinques amargos, com teor alcoólico (e de amargor) crescente do primeiro ao terceiro. Prepare os copos e dê boas-vindas a esse novo mundo etílico. Abaixo, três receitas de drinks amargos para você fazer em casa.

drinks1 Uma marca dos drinques amargos: a cor escura, puxada para o cobre  (Foto: Julia Rodrigues)

Uma marca dos drinques amargos: a cor escura, puxada para o cobre  (Foto: Julia Rodrigues) (Divulgação/)

1. Lucanialand

Ingredientes
• 40 ml de amaro
• 20 ml de gim
• 10 ml de suco de limão
• 80 ml chimarrão natural frio
• pedras de gelo
• Para decorar: casca de limão-siciliano e folhas de hortelã

Modo de preparo
Em um copo alto, coloque as pedras de gelo até em cima e os ingredientes na ordem: amaro, gim, suco de limão e mexa com uma colher bailarina. Adicione o chimarrão filtrado e frio (duas colheres de sopa para cada litro de água) e mexa novamente.

2. Siu Lim Tao

Ingredientes
• 40 ml de vermute tinto
• 40 ml de vinho Manzanilla
• 2 lances de bitter
• Para decorar: casca de limão e gergelim

Modo de preparo
Faça-o diretamente em copo baixo, colocando os ingredientes a partir do vermute tinto, o vinho Manzanilla e os lances de bitter. Mexa com uma colher bailarina e decore com twist de limão e notas de gergelim.

3. IlCardinale

Ingredientes
• 40 ml de gim
• 25 ml de vermute branco
• 15 ml de martíni bitter
• Para decorar: casca de limão-siciliano e azeitona

Modo de preparo
Em um mixing glass, coloque o gim, o vermute e o bitter. Adicione pedras de gelo e mexa com uma colher bailarina até sentir uma boa temperatura fria. Sirva em taça de coquetel fria; decore com um twist de limão-siciliano, uma azeitona verde e uma leve borrifada de salmoura de azeitona.

>>> Três Amaros para drinques

1. Amaro Lucano (Itália) • Teor alcoólico: 28% // R$ 110
2. Bitter Mezzamaro (Itália) • Teor alcoólico: 28,5% // R$ 55
3. Cynar (Itália) • Teor alcoólico: 20% // R$ 15

garrafas