Diretor de ‘Habemus Papam’ diz que filme antecipou renúncia

O diretor italiano Nanni Moretti disse que não acredita que Bento XVI tenha visto seu filme

Roma – O diretor italiano Nanni Moretti assegurou nesta terça-feira que seu filme “Habemus Papam”, que narra a renúncia de um Papa com problemas existenciais, antecipou o anúncio da renúncia de Bento XVI.

“Às vezes, o cinema pode antecipar a realidade”, declarou Moretti em uma entrevista ao jornal ‘La Repubblica’.

O cineasta disse que a cena que encerra o filme, com a renúncia pública do Papa na Praça de São Pedro, é a prova de “um simples gesto pode derrubar São Pedro e toda a Igreja”.

“Apesar de não parecer algo crível, eu disse para mim mesmo que era essa a história que eu queria contar. Não a realidade como é, e sim como poderia ser. E aqui estamos”, afirmou Moretti, um dos cineastas mais críticos da sociedade italiana.

‘Habemus Papam’ conta a história do Cardeal Melville, interpretado por Michel Piccoli, que sofre um ataque de pânico quando tem de falar à multidão na Praça de São Pedro depois da eleição no conclave de cardeais.

Os cardeais tentam manter a crise entre as paredes do Vaticano e contratam um psicólogo, interpretado pelo próprio Moretti, para tratar a depressão do Papa, que, por fim, decide não assumir o cargo.

“Queria contar a História, com H maiúsculo, de um homem que não quer dar prioridade a seu papel, apesar de ser sagrado e poderoso, passando por cima de sua natureza humana”, explicou Moretti, que não acredita que Bento XVI tenha visto seu filme.

Moretti disse ainda que queria que seu filme fosse um retrato de um Vaticano “mais humano” e, ao mesmo tempo, uma crítica à Igreja católica.