Dana White elogia Anderson Silva e mantém lutador em reality

O presidente do UFC garantiu que continuará apoiando o lutador brasileiro e que o atleta não deixará de ser técnico do The Ultimate Fighter Brasil 4

São Paulo – Dana White, presidente do UFC, garantiu que vai continuar apoiando Anderson Silva e que o atleta não deixará de ser o técnico do reality show The Ultimate Fighter Brasil 4 (TUF) enquanto o processo de doping não for definido.

“Anderson Silva tem sido um dos maiores atletas que o esporte já viu. Ele tem uma longa e única carreira nas artes marciais mistas. Em nove anos com o UFC, ele nunca testou positivo para uma substância proibida. Nos guiando por isso, queremos garantir que Anderson teve todo o processo legal e nós iremos apoiá-lo durante todo esse período. Durante o processo, Anderson vai continuar sendo o técnico do The Ultimate Fighter Brasil”, afirmou.

A imagem do lutador brasileiro pode submergir caso o doping seja confirmado na contraprova. Ele está escalado para participar do reality show TUF Brasil 4, exibido pela Rede Globo, como técnico, ao lado de Mauricio Shogun.

Por enquanto, Dana descarta qualquer alteração. “Claro que vamos continuar acompanhando as ações da Comissão Atlética do Estado de Nevada. Uma vez que todos os resultados têm sido tornados públicos e a Comissão Atlética tem tomado suas decisões, nós iremos continuar respeitando o processo e avançando nesse sentido”, avisou.

O dirigente também garantiu que o UFC não tinha conhecimento do caso de doping antes do combate de sábado pelo UFC 183. Se o resultado tivesse sido anunciado antes, era bem provável que a principal luta da noite fosse cancelada, gerando um prejuízo muito grande ao UFC.

“Apoiamos irrestritamente o programa de testes da Comissão fora do período de competição, o qual temos financiado quando solicitado ao longo dos últimos dois anos. Testes dessa natureza são importantes para manter o esporte limpo. O diretor do laboratório de Salt Lake City já explicou o tempo de divulgação e o motivo pelo qual a comissão e o UFC não receberam os resultados antes do dia 3 de fevereiro, após a luta”, explicou.