Coração requer mais atenção no verão

Excessos de exercícios e abusos de comidas e bebidas, que muitos cometem na estação mais quente, pode aumentar as chances de algum problema cardíaco

São Paulo – O verão chega e a vontade de sair da rotina aumenta. Muita gente investe o tempo livre para se exercitar e tentar recuperar a forma, fazendo longas caminhadas na beira da praia e, ao mesmo tempo, abusando de comidas e bebidas. Essa “mistura” pode aumentar as chances de algum problema cardíaco ou vascular aparecer, principalmente em pessoas com maior risco cardiovascular, como idosos, hipertensos, obesos, tabagistas e diabéticos.

Cautela é a recomendação de Rubens Darwich, coordenador da hemodinâmica e cardiologia do Hospital Vita Curitiba. “Pessoas que fazem parte do grupo de risco não podem fazer exercícios físicos sem uma avaliação médica prévia, tampouco abusar da alimentação“, diz. “Vale lembrar que frutos do mar têm alto teor de colesterol, principal fator desencadeante da aterosclerose”, lembra o especialista.

Atenção redobrada a cardiopatas que fazem uso de medicamentos. No verão, o calor extremo e a umidade aumentam a perda de água e sais minerais através da transpiração e da respiração. “Por isso, para evitar a desidratação, a melhor saída é ingerir bastante líquido nesta época do ano, principalmente pacientes de maior faixa etária e que fazem uso de diuréticos”, recomenda Darwich.

A temporada de sol e mar traz consequências também aos hipertensivos que precisam recorrer à farmácia para controlar a pressão. Conforme explica Luiz Fernando Kubrusly, cirurgião cardiovascular e diretor clínico do Hospital Vita, como a tendência natural do corpo é baixar a pressão no calor – e a pressão atmosférica na praia já é naturalmente baixa -, o uso de vasodilatadores pode acentuar essa queda, causando hipotensão.

“Por isso a importância de uma reavaliação médica antes de sair para as férias, já que talvez seja necessário alterar a dosagem dos medicamentos”, alerta Kubrusly, que também recomenda a medida da pressão com maior frequência, principalmente antes de tomar os medicamentos. “É preciso ficar atento para o excesso de remédio”, informa.

Saúde do coração

Doenças cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e os vasos sanguíneos. Abrangem arritmias cardíacas, isquemias, anginas e, em casos mais graves, causam infarto e acidente vascular cerebral. Quando se trata desse grupo de enfermidades, as estimativas são alarmantes: elas são responsáveis por mais de 30% dos óbitos registrados no País em um ano, o que as tornam a primeira causa de morte entre a população brasileira.

A hipertensão arterial e a obesidade são as duas maiores vilãs da saúde do coração, sendo que a primeira é uma doença silenciosa, já que boa parte da população – cerca de 12 milhões, segundo o Ministério da Saúde – não sabe que tem o problema. Quando não controlada, a pressão arterial elevada provoca lesões nas artérias e sobrecarga do músculo cardíaco. Já o excesso de peso sobrecarrega não apenas o coração, mas todo o sistema circulatório, sendo a principal causa de hipertensão e insuficiência cardíaca. Por isso, é fundamental manter hábitos saudáveis para blindar o coração. E, para evitar sustos, a melhor conduta é a prevenção.