Conheça os tratamentos mais modernos para combater a calvície

A principal preocupação masculina em relação à estética é mesmo perder os cabelos. E o que garante um bom resultado no tratamento é o rápido diagnóstico

homem careca de costas

 (Pixabay/Reprodução)

Ficar com o rosto cheio de espinhas, criar uma baita pança, ganhar manchas nos dentes? Tudo muito desagradável. Mas a principal preocupação masculina em relação à estética, mostram várias pesquisas recentes, é mesmo ficar careca.

Em relação a isso, temos uma boa e uma má notícia. A má é que hoje você perde mais cabelo do que seu avô – e mais cedo.

“Metade dos garotos com até 15 anos já apresenta queda anormal do cabelo. A partir dos 40 anos, o número sobe para 90%”, afirma o dermatologista e tricologista (especialista em cabelos e couro cabeludo) Luciano Barsanti, do Instituto do Cabelo, em São Paulo.

A boa? Hoje, se você ainda tiver 60% do cabelo, só fica careca se quiser. “Graças ao avanço no diagnóstico e no tratamento, o processo pode ser totalmente estagnado e revertido”, diz Luciano. “A eficácia dos métodos aumenta quando eles são usados em conjunto.”

O que garante um bom resultado é o rápido diagnóstico. Percebeu que seu cabelo está ficando mais fino ou caindo muito, a ponto de ver vários fios no teclado do seu computador, no banco do carro e na roupa?

Não basta ir à farmácia e comprar xampus antiqueda. “Eles servem só para tratar seborreias e dermatites”, diz o tricologista Ademir Jr. O melhor negócio é procurar logo um especialista.

Calvície

calvicie masculina

 (Pixabay/Reprodução)

Tipo mais comum: alopecia androgenética

O que é: o bulbo capilar fica atrofiado por causa de uma maior conversão de testosterona, o hormônio sexual masculino, em dihidrotestosterona, ou DHT. Isso ocorre devido à ação de uma enzima, a 5-alfa-redutase.

Causa: como o nome diz, é genética. Só que ter pais ou avós calvos não significa necessariamente calvície – depende de quantos dos oito genes você herdou.

Ações desencadeantes: stress, depressão, ansiedade, alimentação inadequada, uso de anabolizantes, de cigarro e de drogas, como maconha, cocaína e crack.

 

Diagnósticos tecnológicos

homem careca

 (Pixabay/Reprodução)

• Scanner do couro cabeludo

O que é: um aparelho que projeta imagens aumentadas em até 8 mil vezes do fio e do couro cabeludo. Ele detecta inflamações, seborreia, deposição de gordura e alterações na circulação de sangue. O resultado é imediato.

Dói? Não

Preço: R$ 250, em média

 

• Microscopia eletrônica do bulbo

O que é: um aparelho que aumenta a raiz do fio de cabelo, o que possibilita ao médico avaliar a matriz celular do fio.

Dói? Não

Preço: R$ 250, em média

 

• HairDX

O que é: é um teste de DNA que detecta a probabilidade de o sujeito ficar careca caso sofra alterações em uma parte do cromossomo X que recebe da mãe. Seu índice de acerto é de até 80%. Ele é feito com o muco coletado com uma espécie de cotonete comprido.

Dói? Não

Preço: R$ 1 000, em média

 

Tratamentos de ponta

Samumed Calvície

 (Samumed/Divulgação)

• Laser de baixa penetração

O que é: luz que age diretamente no bulbo capilar, promovendo estímulo da multiplicação das células de cabelo. Ela também dilata os vasos que transportam nutrientes e oxigênio para a matriz do cabelo, tornando-o mais forte, e tem ação anti-inflamatória.

Tempo para ver resultados: seis meses

Dói? Não

Preço: a partir de R$ 700 por mês

 

• Eletroestimulação

O que é: microcorrentes que dão uns choquinhos no couro cabeludo do paciente para estimular a multi­plicação das células do bulbo capilar, o que interrompe a queda e ajuda os fios a voltarem a crescer.

Tempo para ver resultados: seis meses

Dói? Não

Preço: a partir de R$ 700 por mês

 

• Intradermoterapia

O que é: um rolo com microagulhas que é passado no couro cabeludo e abre pequeníssimos canais. Através deles são introduzidas substâncias como silício orgânico ou proteínas, que conseguem interromper a queda do cabelo e estimular o crescimento dos fios.

Tempo para ver resultados: seis meses

Dói? Sim

Preço: a partir de R$ 700 por mês

 

• Dutasterida

O que é: uma droga sintética que combate com eficácia a queda dos cabelos. Alguns estudos mostram que ela é mais eficiente que a finasterida, usada na maior parte dos tratamentos de calvície.

Tempo para ver resultados: seis meses

Dói? Não

Preço: varia de acordo com as indicações médicas.

 

• Transplante folicular coronal

O que é: avanço do antigo transplante capilar. Em vez de enxertos de tufos de cabelos no couro cabelo, agora são feitos enxertos de apenas uma a quatro unidades foliculares, retiradas do próprio paciente. Mas ele só é possível se o paciente tiver 40% do cabelo.

Tempo para ver resultados: os fios implantados caem em cerca de quatro semanas, mas depois nascem normalmente. O resultado completo é visto em oito meses.

Dói? Não, mas a cirurgia leva pelo menos cinco horas

Preço: a partir de R$ 15 mil

 

Fontes: Luciano Barsanti, dermatologista e tricologista do Instituto do Cabelo; Ademir Jr., dermatologista e tricologista; Arthur Tykocinski, dermatologista especialista em transplante folicular coronal; Philip Hallawell, visagista.


Não tem jeito? Assuma a careca

Calvície

 (Pixabay/Reprodução)

Se sua calvície já está instalada, ou caso você apenas queira adotar um estilo mais arrojado, assuma logo a careca.

Raspe tudo, inclusive aquela penugem lateral – se você quiser manter esses cabelos que restam, apare-os bem, deixando muito curtos. Há alguns truques que você pode usar para deixar seu visual mais equilibrado, já que ele está desprovido de cabelos.

“Barba, cavanhaque e bigode são elementos que você pode adotar para esse fim”, diz o visagista Philip Hallawell. Algumas dicas para cuidar da careca.

• Dermatologistas avisam que a pele da cabeça deve ser tratada com os mesmos cuidados direcionados à do rosto. Aplique filtro solar dia­riamente e reaplique-o a cada duas horas. E saiba que manter o rosto e o cocoruto bronzeados o deixa com aspecto mais jovem.

• Use cavanhaque se quiser criar um ponto de equi­líbrio no rosto e ter uma imagem forte – sensação que se amplia se o cavanhaque tiver linhas retas.

• Usar barba “por fazer” (mas aparadinha) também é uma boa saída para tirar a atenção da careca.

• Use óculos arrojados, mas adequados ao seu formato de rosto. Para rostos quadrados, armações com cantos regulares; os redondos pedem armações quadradas; os triangulares, armações redondas e ovais. Já os rostos ovais vão bem com qualquer tipo de armação.

• Abuse de chapéus es­tilosos. Além de serem bacanas para seu visual e de darem um ar cool e moderno, os chapéus ajudam a proteger a sua careca contra os raios solares.


De olho nos números

• 60% de cabelo um calvo precisa ter para que seja possível fazer um transplante

• 50% dos homens até 15 anos já apresentam uma queda acentuada de cabelo

• 100% de sucesso atinge hoje o tratamento anticalvície caso o diagnóstico seja precoce

• 51,34% das mulheres, e não todas elas, preferem os carecas. É só um palpite


Não, nunca, jamais!

homem de peruca

 (Pxhere/Reprodução)

Medidas terminantemente proibidas – em nome de sua imagem

• Usar perucas estilo Zacarias.

• Fazer o famoso penteado “combover”: aquele que puxa uns tufos de cabelo de um lado e passa por cima da careca para o outro.

• Comprar produtos estilo “cabelo instantâneo”, tinta que promete engrossar os fios e, assim, dar impressão de farta cabeleira.

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Aceito receber ocasionalmente ofertas especiais e de outros produtos e serviços do Grupo Abril.
Política de Privacidade