Conheça os destinos turísticos que mais crescem na Europa

Destinos menos conhecidos, como a República da Moldávia, crescem mais rapidamente

França, Espanha, Itália e Reino Unido podem estar entre os destinos de férias mais frequentados do mundo – sendo que a França conquista o título mundial, com a surpreendente chegada de 86,9 milhões de turistas internacionais anualmente –, mas o crescimento anual desses lugares que já são populares é limitado.

Por isso, destinos menos conhecidos, como a República da Moldávia, crescem mais rapidamente. Segundo novos dados da Organização Mundial de Turismo, da ONU, em 2017, por exemplo, o turismo francês cresceu 5,1 por cento; seu concorrente sem litoral – aninhado entre a Ucrânia e a Romênia – observou um pico de visitação de 19,6 por cento quando recebeu 145.000 visitantes no ano passado.

“Quando se fala sobre esses destinos em rápido crescimento na Europa, muitas vezes há uma falta de reconhecimento de nome, em comparação com os países mais populares”, diz Warren Chang, diretor de operações da divisão das Américas da Cox & Kings. “Mas muitos desses lugares têm grandes histórias e um sutil ar romântico – além de diversidade cultural e beleza natural.”

Para os amantes da Europa viajados – e para aqueles cujas definições de Europa vão além da Europa Ocidental e incluem, assim como a OMT, países da Ásia Central e do Oriente Médio – esses são os três melhores lugares para conhecer. Eles estão classificados pelo crescimento em relação ao ano anterior.

3. Israel – 24,6 por cento

Pode ser surpreendente ver a Organização Mundial de Turismo categorizar este país do Oriente Médio como parte da Europa, mas qualquer um que tenha feito uma viagem gastronômica por Tel Aviv ou Jerusalém entenderá quão bem Israel compete com seus rivais continentais. As diversas tradições culinárias do país se tornaram uma grande atração para viajantes intrépidos, mas outras empresas estão colocando em evidência o eterno apelo de Israel: sua importância religiosa e histórica. É nisso que a Abercrombie & Kent está se concentrando em seus novos passeios com pequenos grupos, dedicados às impressionantes paisagens e cidades antigas que, literalmente, dão vida à Bíblia. “Não se trata do que há de novo nesta terra antiga”, disse a vice-presidente de desenvolvimento de produtos da empresa, Stefanie Schmudde. O interesse de viajantes culturalmente curiosos registrou um aumento de três dígitos só no ano passado, acrescentou ela.

2. Geórgia – 27,9 por cento

Essa você não sabia: a Geórgia será o próximo point dos viajantes. Para muitos especialistas do setor, incluindo Tom Marchant, cofundador da agência de viagens de luxo Black Tomato, essa grande novidade parece ter surgido do nada. “É verdade que não esperávamos ver um aumento tão grande neste país neste ano, mas, em retrospecto, faz sentido”, diz ele. Por quê? “À medida que as aventuras culinárias se tornam um catalisador cada vez mais comum para viagens, a culinária histórica da Geórgia é a desculpa perfeita para visitar este lugar intocado da Europa.” Adicione uma série de hotéis, bares e restaurantes extremamente descolados na capital Tbilisi – como o Stamba, uma nova propriedade da Design Hotel em uma antiga editora, com um cassino surpreendentemente elegante, inspirado no Expresso do Oriente – e você entenderá o entusiasmo.

1. San Marino – crescimento de 31,1 por cento ano a ano

Se você não consegue identificar a pequena república de San Marino no mapa, provavelmente não está sozinho: o microestado medieval fica no norte da Itália, em um aglomerado de montanhas que levam até a cidade adriática de Rimini (saindo de carro de Florença, é uma jornada direta de três horas rumo ao leste). Em 2017, San Marino recebeu mais de dois visitantes para cada um dos seus 33.000 habitantes, registrando 78.000 chegadas no total. Não é muito, mas para um microestado com apenas 62 quilômetros quadrados, também não é nada desprezível.