Conheça as primeiras mulheres a lutar no UFC

http://youtu.be/7QEoSpOdHGA Pela primeira vez na história do UFC, duas mulheres pisam no octógono não para segurar as placas que anunciam os rounds ou para arbitrar, mas para enfrentarem-se. Ronda Rousey, primeira americana a conquistar uma medalha olímpica de judô, e Liz Carmouche, uma ex-fuzileira naval assumidamente lésbica, foram alçadas à categoria de luta principal do […]

Pela primeira vez na história do UFC, duas mulheres pisam no octógono não para segurar as placas que anunciam os rounds ou para arbitrar, mas para enfrentarem-se. Ronda Rousey, primeira americana a conquistar uma medalha olímpica de judô, e Liz Carmouche, uma ex-fuzileira naval assumidamente lésbica, foram alçadas à categoria de luta principal do UFC 157, em 23 de fevereiro — não sem causar polêmica, porque o main event antes do anúncio da estreia feminina era entre os meio-pesados Dan Henderson e Lyoto Machida (fãs dos dois inclusive já postaram montagens de como seria o cartaz de divulgação do evento com a “real” luta principal).

Nesta madrugada, o UFC divulgou um vídeo para ajudar a apromover a luta. O primeiro episódio do UFC 157 Primetime: Rousey vs Carmouche traz um pouco da vida e dos treinos das duas lutadoras. Há imagens de Ronda em sua casa em Venice (ela mantém na sala uma espécie de teto-solo para ficar treinando a qualquer hora), na praia com a irmã mais nova e no apartamento temporário para o qual se mudou para facilitar os treinos. Ronda também conta, em lágrimas, sobre o suicídio do pai após sofrer um acidente que comprometeu seus movimentos. O vídeo também explora a homossexualidade de Liz  — ela fala sobre isso e há imagens com sua parceira — e mostra sua rotina como atleta e como empregada da San Diego Combat Academy (ela abre a academia às 8h da manhã e a fecha às 10h da noite e trabalha na recepção e dando aulas). O filme, que mostra uma vida nada glamurosa das duas novas estrelas do UFC, tem 21:40 minutos e está em inglês.