Conheça 22 corridas bizarras

Para encarar uma prova, você precisa de preparo. Ou, em alguns casos, boa dose de humor, cara de pau e insalubridade. Conheça algumas competições bizarras e divertidas

À fantasia

1. WARRIOR DASH

Quem disse que 5 km são pra qualquer um? Nesta corrida de obstáculos, as horas de treino na esteira da academia são tão importantes quanto a capacidade de saltar sobre fogueiras (em geral, três por percurso). O diferencial desta prova, realizada em várias etapas em território americano e australiano, é que os atletas são estimulados a participar usando fantasias. Quem chega ao fim ganha uma cerveja grátis. Para todos os participantes, é oferecida uma festa com música ao vivo. A “brincadeira” começou em 2009, com 2 000 corredores, em um evento único. O sucesso foi tão grande que o número de etapas foi crescendo, e em 2012 serão 65 provas, com 15 000 participantes em média. http://www.warriordash.com

2. RUN FOR YOUR LIVES

Já reparou como as pobres vítimas de filme de terror precisam correr para se salvar? Pois em várias cidades dos Estados Unidos e em Toronto, no Canadá, a vida imita a arte: ao longo de 5 km de trilhas no mato, voluntários vestidos de zumbis perseguem os corredores, que têm pequenas bandeiras presas à cintura. Não basta chegar ao final, é preciso não perder todas as bandeiras — se isso acontecer, o corredor se junta à horda de zumbis, de forma que o número de perseguidores aumenta ao longo do trajeto. Assim, a tarefa fica mais difícil para quem sobra. O evento foi criado nos Estados Unidos em 2011 e acontece em 13 etapas, de março a dezembro. http://www.runforyourlives.com


3. CORRIDA DE SALTO ALTO

Uma corrida com salto causaria arrepios em qualquer ortopedista. Por ironia — ou oportunismo —, o patrocinador da prova realizada no Brasil é um fabricante de produtos para bolhas nos pés. Realizada desde 2011, no estacionamento de um shopping em São Paulo, a prova exige que as participantes usem salto de pelo menos 7 cm. Vence quem cumprir o trajeto de 100 metros. Quem chega em primeiro lugar leva 1 000 reais em vale-compras. Esse tipo de prova é mania na Europa: competições semelhantes são realizadas na Eslovênia, Irlanda, Noruega e Rússia. Na Holanda, a participação de drag queens é autorizada. http://www.corridadesaltoalto.com.br

4. CORRIDA DE NOIVAS

Mulheres — ou homens — vestidas de noivas são figuras tradicionais nas maiores maratonas do mundo, como as de Londres e de Nova York. Em Belgrado, na Sérvia, é diferente: nesta prova de 3 km só participam mulheres, e obrigatoriamente vestidas a caráter. Todos os anos, cerca de 50 participantes, casadas ou solteiras, encaram esse desafio. Há um prêmio em dinheiro no valor de 300 euros para quem chegar na frente. O melhor vestido também recebe um reconhecimento especial no valor de 100 euros. http://www.tob.rs

5. CORRIDA DAS DONDOCAS

A prova é realizada há 14 anos na cidade de Pindamonhangaba, no interior de São Paulo. Ela acontece sempre no sábado de Carnaval, em um percurso de 4 km. O trajeto não ofereceria grandes desafios técnicos, não fosse o traje obrigatório da corrida: os homens devem se vestir de mulher e as mulheres, de homem. Os moradores vão às ruas prestigiar o pelotão de bailarinas e mecânicos que passam pela cidade. Para os participantes desavisados, a organização oferece vestidos e perucas. http://www.pindamonhangaba.sp.gov.br


De cara e corpos pintados

6. COLOR RUN

Para participar desta prova popular, que acontece em 44 cidades dos Estados Unidos há 11 anos, todos correm vestindo branco. A obrigação não é casual: a cada um dos 5 km do trajeto, a organização joga pó colorido nos participantes. Primeiro amarelo, depois azul, verde, roxo e rosa. A organização garante que as tintas são 100% naturais e não oferecem riscos à saúde. Ao fim, todos chegam pintados de várias cores, dos pés à cabeça. http://www.thecolorrun.com

7. THE ULTIMATE MUD RUN

A mais tradicional corrida norte-americana na lama é realizada há seis anos em 12 cidades. Todas as provas acontecem na lama, com 25 obstáculos (como escalada em paredes, trechos em mata fechada, parte do percurso em rios). Os 11 km do trajeto são iluminados por tochas e lâmpadas. O objetivo é fazer os corredores se sentirem em um treino militar. A linha de chegada é uma grande poça de lama, na qual é preciso se jogar e nadar para finalizar o percurso. http://www.ultimatemudrun.com

Juntinhos até a linha de chegada

8. BOOM DAYS PACK BURRO RACE

Ao longo de um trajeto montanhoso de 35 km em Leadville, Colorado (EUA), os participantes correm ao lado de seus burros ou jumentos. Não é permitido montar nos animais, mas os atletas são obrigados a cruzar a linha de chegada com os bichos. Ela foi criada há 64 anos com o objetivo de homenagear os mineradores da região, que, no século 19, ao fim do expediente, brincavam com seus burros organizando corridas festivas. http://www.packburroracing.com


9. WIFE CARRYING CHAMPIONSHIP

Realizada durante o Festival de Inverno da cidade americana de Maine há cinco anos e organizada por um resort de esqui, a prova (de apenas 250 metros) é disputada em duplas — as mulheres podem também carregar os homens. O importante é que todos os participantes estejam carregando uma pessoa do sexo oposto. A prova é inspirada em outras semelhantes, realizadas na Letônia e na Estônia, onde surgiu a técnica de carregar o(a) parceiro(a) sobre os ombros. http://www.skimaine.com/skievents/13th-annualwife-carrying-championship/

Dureza

10. MARATONA NA SELVA

Misturando maratonas e reality shows (equipes de TV são bem-vindas), esta corrida coloca à prova não só o preparo físico dos participantes, mas também o estado emocional e a capacidade de superar desafios. A prova organizada na Amazônia dura sete dias. Ao longo do trajeto de 240 km, cada corredor deve carregar suas próprias roupas, seus equipamentos e sua comida — com exceção da água, fornecida pela organização. Para dormir, barracas militares com redes nada confortáveis. http://www.junglemarathon.com

11. TOUGH GUY CHALLENGE

Criada em 1986, a prova de 12,8 km tem fama de ser a mais casca-grossa do mundo. A Tough Guy Challenge (Desafio dos Caras Durões, em tradução livre) acontece na Inglaterra e faz os atletas encararem obstáculos como fogo, gelo e lama, além do frio. Tem claustrofobia? Nem faça a inscrição: um dos trechos passa por um lago cheio de lama dentro de uma caverna apertada. O prêmio por tamanha bravura? Nenhum: trata-se de um evento beneficente para ajudar os veteranos de guerra ingleses. http://www.toughguy.co.uk


Gourmets

12. KRISPY KREME CHALLENGE

Os cerca de 7 000 participantes precisam comer 12 donuts durante a corrida — eles param na metade do percurso de 8 km e só voltam para a pista quando acabam o “lanchinho”. A corrida é realizada na Carolina do Norte (EUA) há oito anos, e seus participantes costumam estar acima do peso. http://www.krispykremechallenge.comm

13. NEW YORK CITY PIZZA RUN

Inspirado na Krispy Kreme, também faz os participantes “enfiarem o pé na jaca”. Só que, como o nome indica, a cota obrigatória consiste em pedaços de pizza: três por posto. O trajeto da prova tem 3,6 km e em 2012 vai passar pela região de East Village, recheada de pizzarias. http://www.nycpizzarun.com

14. MARATHON DU MÉDOC

Não é a única maratona cujo principal objetivo é beber muito vinho. Mas esta é especial por ser realizada na região vinícola de Pauillac, na França. O trajeto de 42 km passa por 22 barracas, que servem vinho, cerveja, petiscos e sorvetes. Ninguém é obrigado a comer ou beber, mas a degustação é o grande atrativo desta festa. http://www.marathondumedoc.com


15. DRINK AND RUN

Há nove anos, mais de 1 000 participantes correm pelas ruas de São Paulo. O trajeto de 6 km passa por uma série de bares e, em geral, conta com cinco postos de “hidratação”: em cada um, o atleta tem que beber um chope. A organização proíbe estritamente urinar em via pública, bem como sentar nos bares e dizer “eu te considero pra caramba” (depois do terceiro copo, essa última regra é difícil de ser cumprida…) http://www.drinkandrun.com

16. THE COOPER’S HILL CHEESE ROLLING AND WAKE

Há 200 anos, o objetivo é atacar os queijos típicos da cidade inglesa de Gloucester. Os cerca de 500 concorrentes ficam enfileirados no alto de uma colina e um grande pedaço de queijo é lançado. Vence quem o alcançar primeiro, ou então ultrapassar a linha de chegada — a primeira opção nunca acontece, porque o prêmio chega a alcançar 110 km/h. Todos os anos, muitos competidores se machucam gravemente enquanto correm morro abaixo. http://www.cheese-rolling.co.uk

Peladões

17. FESTIVAL DE ROSKILDE

Esta corrida de 5 km surgiu há 41 anos na Dinamarca, no começo do movimento naturista na Europa, sempre realizada no fechamento do festival de música de Roskilde. Desde então, a mania se espalhou pelo mundo e os concorrentes correm usando tênis — e mais nada. Os vencedores ganham… ingressos para o festival de Roskilde, e só. http://www.roskilde-festival.dk


18. BARE YO BREAKERS

Outra corrida muito tradicional, ainda hoje não aceita pelas autoridades de São Francisco, na Califórnia (EUA). Realizada em paralelo à tradicional maratona Bay to Breakers, só aceita participantes que correm pelados durante os 12 km. O exemplo gerou outras provas pelo país, a exemplo da Bare Buns Fun Run, em Washington. http://www.baretobreakers.com

Batendo o cartão

19. CORRIDA DE GARÇONS

Tradicionais nas maiores cidades brasileiras, costumam acontecer perto do Dia do Garçom, 11 de agosto. Na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, ela é organizada há dez anos. Divididos em grupos, os cerca de 180 participantes percorrem 100 metros carregando bandejas. Os vencedores passam para a bateria seguinte, até a realização da grande final. O vencedor costuma levar para casa um prêmio de 1 000 reais. http://www.copacabana.tur.br

20. CORRIDA DE CARTEIROS

Organizada todos os anos pelas diretorias regionais dos Correios brasileiros como um circuito nacional de provas. Ela acontece em 24 estados e é disputada em todos os cantos do país, de Teresina (PI) a São José (SC). Este ano, a corrida chega a sua 15ª edição. O trajeto tem 10 km e os participantes ganham medalhas e prêmios em dinheiro (de 50 a 1 200 reais). http://www.corridadocarteiro.com.br


Pra cima

21. CORRIDA VERTICAL

Nada de asfalto ou terra, mas escadas. O Circuito Mundial de Corrida Vertical é realizado em nove países — a etapa americana é realizada no Empire State Building, em Nova York. Neste ano, a fase brasileira foi realizada no Novo Edifício Abril, em São Paulo (SP). Foram 575 degraus e 23 andares para os atletas de ponta. Os vencedores da prova foram o alemão Thomas Dold, que chegou ao topo em 3min01, e a italiana Valentina Belotti, que terminou a prova em 3min53. http://www.verticalrunning.org

Pra trás

22. CORRIDA DE COSTAS

As competições de trás para a frente são realizadas no Brasil, na Inglaterra e na Itália — mas a com maior número de frequentadores acontece todos os anos em Wisconsin (EUA) e reúne 2 000 participantes. Em algumas academias europeias, a corrida de costas chega a substituir os treinos aeróbicos, porque queima mais calorias que as provas tradicionais. O efeito visual pode ser bizarro, mas o maior articulador da modalidade no mundo, o atleta francês Christian Grollé, quer que as maratonas de costas sejam incluídas nas Olimpíadas. http://marathons.ahotu.com/calendar/marathon/wisconsin/backwardsrace/2012