Como foi criado jovem Schwarzenegger de novo “Exterminador”?

A resposta envolve, obviamente, muita computação gráfica – mas não só isso

São Paulo – Uma das cenas mais marcantes do novo “Exterminador do Futuro: Gênesis” acontece logo no começo do filme, e na verdade é uma recriação parcial de um trecho do primeiro longa-metragem.

Nela, um T-800 nu representado por um jovem Schwarzenegger aborda três punks e ordena que eles lhe deem suas roupas.

A história, porém, termina de forma diferente, já que o Schwarzenegger atual aparece pouco depois e os dois T-800 – um jovem e um mais velho – começam a brigar. Mas a dúvida ainda fica: como foi possível deixar o ator tão mais novo?

A resposta envolve, obviamente, muita computação gráfica. Mas não apenas isso, como explicou o supervisor de efeitos especiais Sheldon Stopsack, que trabalhou na criação da cena, ao site Entertainment Weekly: o processo para fazer um ator virtual incluiu ainda um dublê de corpo, filmagem e, claro, a recriação de expressões corporais digitalmente.

O escolhido para incorporar o Schwarzenegger virtual foi o halterofilista austríaco Brett Azar, o único que correspondeu às especificações, de acordo com Stopsack.

O produtor se referiu em especial à largura das costas, que precisava ser de pouco mais de 125 centímetros. Foi o dublê de corpo quem lutou contra o ator para a filmagem da cena, que foi depois modificada para que o Arnold digital fosse colocado no lugar de Azar.

De acordo com a reportagem, o segundo passo foi criar o rosto do Exterminador original, usando imagens do jovem Schwarzenegger misturadas às expressões faciais do ator hoje.

Nós usamos os resultados de uma sessão de captura facial e tentamos mapeá-los no nosso modelo mais jovem e compensar a discrepância de idades, explicou Stopsack.

Por fim, foi preciso recriar o corpo e as expressões corporais. Para isso, Stopsack e outro membro de sua equipe de efeitos visuais analisaram todos os registros possíveis do ator, incluindo seus filmes e o documentário O Homem dos Músculos de Aço, de 1977, que mostrava o Exterminador apenas sete anos mais jovem do que no primeiro filme.

Todo esse extenso trabalho de filmagem, análise e modelagem levou um ano, e rendeu apenas cinco minutos de filme divididos em 35 tomadas.

O resultado final só foi entregue meia hora antes do encerramento da produção – o que mostra que, mesmo no atual estágio, ainda é difícil recriar um Arnold Schwarzenegger em pura computação gráfica.

Confira o vídeo: