Como acertar na aliança e no anel de noivado

Um guia indispensável para quem decidiu dar o grande passo - ou o primeiro deles rumo ao altar - bem no mês das noivas

Diamantes são eternos

Por que diamante
“As mulheres costumam esperar um anel com diamante porque ele é o que mais simboliza que o compromisso é para sempre”, diz Deborah Cattani, que desde 2015 presta consultoria para noivos, com ênfase na vestimenta deles, dos pajens e dos padrinhos.

A escolha da cor
Você possivelmente vai encontrar diamantes rosas, amarelos e até pretos, mas dificilmente uma noiva vai se contentar como uma cor que não a tradicional. A regra é a seguinte: quanto mais clara, mais cara a pedra.

O formato ideal
Os anéis mais clássicos, a exemplo do Setting Pavé, da Tiffany, criado há 130 anos, levam pedras arredondadas. Os mais modernos, gemas quadradas, ovaladas e ou até três delas juntas, redondas.

Bons substitutos
Igualmente nobres, o rubi, a esmeralda e a safira são boas alternativas para quem quer comprar uma jóia fora do óbvio. Deborah lembra que o anel de noivado da Kate Middleton era de safira. Mas não qualquer um: pertenceu à Princesa Diana em seu noivado com Charles. “Jóias de família podem valer tanto quanto um diamante”, diz ela.

Preço
Espere gastar pelo menos R$ 7.000 por um anel de diamante. Versões com pedras como zircônia e liga de metal podem ser encontradas por cerca de R$ 500.

Alianças a dedo

Dicas imprescindíveis para a escolha das suas alianças:

Os materiais mais recomendados
Ouro amarelo, branco ou rosé são as escolhas mais clássicas e podem ser combinadas. Mais em conta, a prata e a platina também fazem enorme sucesso. Uma dica de ouro de Deborah Cattani: “É fundamental que o casal faça a escolha em conjunto, afinal as alianças serão usadas a vida toda e não podem agradar só um dos dois”.

Acabamentos possíveis
Noivos mais tradicionais preferem alianças polidas ou foscas. Mais ousadas, as marteladas podem exibir as mais variadas texturas e relevos. Há quem peça para gravar as iniciais do casal na parte interna das alianças ou até mesmo a digital.

A importância da manutenção
Para quem optou por uma jóia polida, recomenda-se levá-la à joalheira a cada seis meses para tirar os riscos. Os demais materiais demandam apenas uma limpeza com esponja seca e, depois, água.

Não esqueça dos ajustes
Retorne à joalheria para ajustar a jóia sempre que considerá-la justa ou folgada – seu dedo também é refém do efeito sanfona conforme com seu peso muda. Lembre-se que é melhor prevenir do que alegar depois que perdeu a aliança porque ela estava folgada.