Cala-se a voz rouca de Joe Cocker

O lendário cantor britânico de blues e rock morreu aos 70 anos, informou seu agente

Joe Cocker, o lendário cantor britânico de blues e rock, intérprete de sucessos como “You Are So Beautiful”, morreu aos 70 anos, informou seu agente nesta segunda-feira.

Nascido em Sheffield, cidade industrial do norte da Inglaterra, Joe Cocker morreu na noite de domingo nos Estados Unidos. Ele foi, “sem dúvida, o maior cantor de rock e soul já saído da Grã-Bretanha”, informou seu agente, Barrie Marshall, em um comunicado.

Cocker ganhou fama nos anos 1960, graças à celebrada versão de “With a Little Help From My Friends”, uma canção dos Beatles que o britânico interpretou com sua característica voz rouca no festival de Woodstock, em agosto de 1969.

Os críticos chegaram a considerar este “cover” como uma das melhores versões da era do rock.

Entre os maiores sucessos da carreira de Cocker estão “Night Calls” e “Up Where We Belong”, um dueto com Jennifer Warnes, que fez parte da trilha sonora do filme “A Força do Destino” (1982). Também é famosa sua interpretação de “You Can Leave Your Hat On”, tema principal do filme “Nove e meia semanas de amor” (1986).

Cocker foi “imensamente talentoso e um verdadeiro astro, mas também um homem amável e humilde que adorava interpretar”, disse seu agente.

“Sua marcante interpretação de ‘With a Little Help From My Friends’ continuou emocionando as plateias durante décadas. Era simplesmente única”, prosseguiu.

O selo fonográfico de Cocker, Sony Music, informou que o cantor sofria de câncer de pulmão. Segundo o Yorkshire Post, o jornal local da cidade natal do cantor, o astro morreu no Colorado, no coração das Montanhas Rochosas, nos Estados Unidos, onde viveu por muito tempo.

Ringo Starr, ex-baterista dos “Fab Four”, homenageou o compatriota com um post no microblog Twitter, onde escreveu: “Adeus e que Deus abençoe Joe Cocker é o desejo de um de seus amigos. Paz e amor”.

A voz de uma geração

A imagem de Cocker como “a voz de uma geração” ganhou proporção graças a “Anos Incríveis” (The Wonder Years, no original), um popular programa da televisão americana que estreou em 1988 com um olhar nostálgico sobre os anos ’60, e que tinha a sua versão de “With a Little Help From My Friends” como tema principal.

A canção também foi incluída no Hall da Fama do Grammy. Mas, apesar de ter sido aclamado por público e crítica, Cocker nunca chegou a ver seu nome no Salão da Fama do Rock and Roll, uma omissão que seus fãs consideravam uma falta grave.

Billy Joel, que interpretou “With a Little Help from My Friends” no Madison Square Garden, de Nova York, em setembro deste ano, comentou que lamentava muito a doença do colega e acrescentou estar “impressionado” de que sua lenda não tivesse sido imortalizada no Salão da Fama do Rock and Roll.

Mas, a revista especializada Rolling Stone, o fez, ao incorporá-lo na lista dos “100 melhores cantores de todos os tempos”, elaborada em 2008 por 179 especialistas.

Apesar da fama, Joe Cocker não tinha o “glamour” que costuma rodear os astros do rock: frequentemente desalinhado e prematuramente calvo, ele nunca apareceu nas revistas de fofocas protagonizando estripulias no estilo de Mick Jagger.

No entanto, teve um lado obscuro. Em entrevista concedida em 2012 à rádio americana NPR, Cocker lembrou as loucuras dos anos ’70, quando mergulhou de cabeça no álcool e nas drogas.

“No começo dos anos ’70, a droga e o álcool fizeram suas vítimas. O caminho de volta foi longo. Muitas vezes, quando se é jovem e irresponsável, a gente não percebe que está levando as coisas ao extremo e de como é difícil o retorno”, contou.