Brasileiro é selecionado por projeto do Festival de Veneza

Entre mais de 400 roteiros inscritos, o de Cuenca, intitulado "A Morte de J. P. Cuenca", foi escolhido ao lado de outros 14 projetos para participar do seminário prático

Roma – O escritor brasileiro João Paulo Cuenca, que lançou o livro “A Última Madrugada” (ed. LeYa) neste ano, foi selecionado para participar da primeira oficina da “Biennale College – Cinema”, uma iniciativa promovida pelo Festival de Cinema de Veneza para promover novos talentos da sétima arte.

Entre mais de 400 roteiros inscritos, o de Cuenca, intitulado “A Morte de J. P. Cuenca”, foi escolhido ao lado de outros 14 projetos para participar do primeiro seminário prático desta iniciativa, promovida pelo diretor do Festival de Cinema de Veneza, Alberto Barbera, informou nesta quarta-feira a organização em comunicado.

Com a escolha de seu roteiro, o escritor brasileiro participará de uma oficina de dez dias em Veneza, a qual será iniciada já no próximo mês de janeiro.

Após essa primeira oficina, que conta com 15 projetos no total, três equipes serão selecionadas para realizar um segundo seminário prático, previsto para ocorrer entre fevereiro e março de 2013. No final, o projeto garantirá a realização de até três longas-metragens de baixo orçamento.

Estes longas-metragens receberão um financiamento de até US$ 196 mil e também serão exibidos na 70ª edição do Festival de Cinema de Veneza, que será realizado de 28 de agosto até 7 de setembro de 2013.

Além do roteiro de Cuenca, o projeto do Festival de Cinema de Veneza selecionou projetos da Espanha – “La substancia”, de Lluis Galter -, Israel, Estados Unidos, Egito, Grã-Bretanha, Ruanda, África do Sul, Filipinas, Tailândia, Líbano e Itália.