Brasil e Costa Rica se enfrentarão pela 3ª vez em Copa do Mundo

Brasil e Costa Rica estiveram no mesmo grupo na Copa de 1990 e de 2002, ambos os jogos foram vencidos pela seleção brasileira

São Petersburgo – As seleções de Brasil e Costa Rica se enfrentarão nesta sexta-feira, em São Petersburgo, pela segunda rodada do grupo E da Copa do Mundo, em duelo que já tem história na competição, com duas partidas realizadas.

Brasileiros e costa-riquenhos, assim como na edição da Rússia, estiveram na mesma chave nas edições de 1990, disputada na Itália, em de 2002, que teve Coreia do Sul e Japão como sedes. Os dois encontros foram vencidos pelos agora pentacampeões mundiais.

Na primeira vez que as seleções se cruzaram, a equipe verde e amarela ainda corria atrás do tetra, enquanto os ‘Ticos’ faziam a primeira aparição em Mundiais. Ambos estrearam com vitória no grupo C, que também tinha Suécia e Escócia.

A partida aconteceu no mítico estádio Delle Alpi, em Turim. Para enfrentar os comandados pelo iugoslavo Bora Milutinovic, o Brasil começou com Taffarel, Mozer, Mauro Galvão e Ricardo Gomes; Jorginho, Dunga, Alemão, Valdo e Branco; Müller e Careca.

A vitória da seleção treinada por Sebastião Lazaroni aconteceu de maneira sofrida, graças a gol marcado aos 33 do primeiro tempo. Jorginho cobrou na lateral na área, Brenes ganhou de Mozer no alto, mas desviou em direção a Müller, que concluiu e marcou, em bola que ainda desviou no zagueiro Mauricio Montero antes de entrar.

O Brasil cairia nas oitavas de final daquela Copa, perdendo para a Argentina por 1 a 0. A Costa Rica surpreendeu, ficando com a segunda posição da chave, mas acabou a campanha também na etapa seguinte, ao cair diante da Tchecoslováquia por 4 a 1.

O reencontro aconteceu 12 anos depois, mas, na terceira rodada, com ambas as equipes chegando invicta, para a partida que aconteceu no estádio Suwon World Cup, na Coreia do Sul. Os comandados por Felipão vinha de vitória sobre turcos e chineses, enquanto os ‘Ticos’ bateram o representante asiático e empataram com a Turquia.

Os então tetracampeões foram escalados com Marcos; Lúcio, Anderson Polga e Edmílson; Cafu, Gilberto Silva, Juninho Paulista, Rivaldo e Júnior; Edílson e Ronaldo. Os costa-riquenhos, por sua vez, tinha o brasileiro naturalizado Alexandre Guimarães no comando, técnico que, 12 anos antes, havia estado em campo, como atacante.

O começo de jogo foi fulminante, com o Fenômeno balançando as redes aos 10 e aos 13 do primeiro tempo. Poucos minutos depois, Edmilson marcou o terceiro, instantes antes de Paulo Wanchope, astro daquela seleção ‘tica’, descontar.

O também atacante Ronald Gómez chegou fazer o segundo da Costa Rica, aos 11 do segundo tempo, mas, Rivaldo, aos 17, e Júnior, aos 19, fizeram mais dois gols para o Brasil, definindo o placar em 5 a 2, garantindo a liderança de mais um grupo C, com 100% de aproveitamento.

O revés por três gols de diferença, por sua vez, decretou a eliminação da seleção centro-americana, que ficou com saldo negativo de um, enquanto a Turquia, que no mesmo horário bateu a China por 3 a 0, foi a dois positivos.

Os brasileiros, depois do bom resultado, passaram pela Bélgica por 2 a 0, pela Inglaterra por 2 a 1, novamente pela Turquia, dessa vez por 1 a 0, até derrotar a Alemanha por 2 a 0, com dois gols de Ronaldo, em Yokohama, garantindo assim a conquista do penta.