As nove cervejas mais bizarras do mundo

Algumas cervejarias apostaram em ingredientes que nunca seriam associados à fabricação da bebida. Haja estômago!

 (/)

O fato de a cerveja ser uma bebida possível de ser feitas das mais diversas maneiras e com qualquer tipo de ingrediente, este mercado acabou se tornando uma mina de ouro a ser explorada pelos amantes do líquido.

Uma micro-cervejaria hoje precisa fazer mais que uma bela IPA ou uma Premium Lager de qualidade para se destacar nas gôndolas e redes sociais.

É preciso ousar para ganhar a fama em um mundo onde qualquer um pode fazer sua cerveja em casa.

Na busca para se destacar no mercado, algumas cervejarias chegam a extremos, apostando em ingredientes que nunca seriam associados à fabricação da cerveja.

Na lista abaixo, trazemos algumas bebidas que trazem essas misturas, no mínimo, inusitadas.

Bone Dusters Paleo Ale

 (/)

A Lost Rhino Brewering de Ashburn, Virginia, fez uma parceria com a empresa de experiências científicas Paleo Quest para criar uma bebida com o fóssil de uma baleia de 35 milhões de anos encontrada na região da cervejaria.

A dupla encontrou no osso paleozoico um tipo de levedura selvagem que foi usado na cerveja que ganhou toque cítrico e leve.


Celeste-Jewel-Ale

 (/)

Uma cerveja de outro mundo, ou pelo menos de outro corpo celeste: a cerveja feita pela Dogfish Head usa poeira da lua para dar o toque final à bebida, feita especialmente para a Oktoberfest e produzida em quantidade reduzida.

Para a criação, a cervejaria misturou o material lunar durante o processo de mostura.


Beard Beer

John Maier, o homem da cerveja e da barba

John Maier, o homem da cerveja e da barba (/)

Muitas cervejas já foram feitas dos mais diversos materiais naturais, mas com parte do corpo humano ainda não. Até agora!

A famosa cervejaria Rogue fez mais ou menos isso ao criar uma cerveja com a barba de seu mestre cervejeiro, John Maier, que cultiva as madeixas faciais desde 1983.

Para a criação inusitada, a cervejaria usou os pelos para criar uma levedura especial, mas para os de estômago forte.


Dock Street Walker

Sim, isso que você está vendo são cérebros de cabra

Sim, isso que você está vendo são cérebros de cabra (/)

Celebrada como a “cervejada falada ao redor do mundo” no site de sua criadora, a Dock Street, a Walker é uma American Pale Stout criada para homenagear o seriado The Walking Dead.

Para isso, a American Pale Stout usa cérebro de cabra na composição: o ingrediente inusitado é tostado juntos dos grãos tradicionais dando a cerveja sabor e cheiro defumado.


Fenrir Nr. 26

A cervejaria islandesa Borg Brugghús queria dar um sabor terroso à sua cítrica IPA West Coast-Style. A solução foi jogar cocô de carneiro no fogo que tosta os grãos da bebida. Ok, então…


Mangalitsa Pig Porter

 (/)

O segredo da cerveja que colocou a Right Brain no mapa das grandes cervejarias americanas? Cabeça e ossos de porco infusionados na cerveja durante o processo de fervura.

A criação levou o prêmio de melhor bebida experimental do Great American Beer Fest.


Brewdog Royal Virility Performance

 (/)

A hypada Brewdog queria participar do casamento do Príncipe William com Kate Middleton de alguma maneira, e criou uma cerveja com viagra para dar uma forcinha à realeza na noite de núpcias.

Claro que a encomenda não chegou ao palácio de Buckingham, mas pelo menos a cervejaria não perdeu a piada.


The 45-Million-Year-Old Beer

 (/)

Lembra aquela história do Jurassic Park de que o cientísta John Hammond conseguiu recriar o DNA dos dinossauros através de mostrar encontradas em um âmbar?

A Fossil Fuels Brewering co. fez mais ou menos isso para criar sua cerveja de 45 milhões de anos.

Com a ajuda do professor Raul Cano da Universidade da California, a cervejaria conseguiu extrair levedura de um âmbar que foi usada na cerveja de sabor frutado e azedo.


Brewdog End of History

 (/)

Essa cerveja não é necessariamente inusitada, mas sua embalagem é. Por ser a cerveja mais rara de sua linha — uma Eisbock 55% de teor alcoólico — a marca vende a bebida embalada em simpáticos (?) esquilos empalhados.

Se você é um aventureiro e ficou com vontade de experimentar alguma dessas “iguarias” líquidas, uma notícia ruim: por enquanto nenhuma delas está a venda no Brasil.