Netflix fecha acordo e lançará filmes exclusivos de Adam Sandler

Serviço de streaming lançará, com exclusividade, quatro filmes produzidos pelo comediante; contrato também foi fechado com a Weinstein Co., de 'O Tigre e o Dragão'

Depois de incrementar o acervo de séries próprias com “House of Cards” e “Orange is the New Black”, a Netflix caminha para fortalecer sua lista de filmes exclusivos. Em uma semana, a empresa fechou acordos com a Weinstein Co. e com a produtora de Adam Sandler para lançar pelo menos cinco longas-metragens originais no serviço de streaming.

O contrato mais recente, fechado com o comediante nesta quinta-feira, foi confirmado em um comunicado à imprensa. No texto, a companhia não fala dos valores da negociação, mas ressalta o sucesso do ator nos cinemas. Somados, seus filmes faturaram mais de 3 bilhões de dólares em bilheteria, mesmo com as várias críticas negativas que cercaram os últimos longas-metragens.

Produtora de Sandler, a Happy Madinson trabalhará junto com a rede de TV online no desenvolvimento de quatro filmes. Todos estrearão apenas no serviço de streaming e ficarão disponíveis para usuários dos “quase 50 países em que a Netflix opera” – incluindo aí o Brasil, que está entre as regiões onde as obras do comediante são mais populares.

O acordo feito com o ator não foi o único, como já mencionado. Segundo a Variety, o primeiro passo foi dado já na segunda-feira, quando a empresa fechou um contrato com a The Weinstein Co. para lançar no próprio serviço a sequência do belo “O Tigre e o Dragão”, chamado de “The Green Legend”. O filme, porém, não ficará apenas na Netflix, e será lançado no final de agosto do ano que vem também em algumas salas IMAX pelo mundo.

Com Michelle Yeoh de protagonista e Yuen Woo-Ping (coreógrafo em “Kill Bill” 1 e 2) no lugar de Ang Lee na direção, a obra ainda pode ser apenas a primeira lançada a partir do acordo entre as duas partes. Ambas as empresas já contam com um contrato de exclusividade no lançamento da série “Marco Polo”, e o serviço de streaming ainda será, em 2016, a primeira rede de TV a receber os filmes da Weinstein quando eles saírem de cartaz.

Vale mencionar que não estamos falando de longas-metragens obscuros neste último caso. A produtora e distribuidora foi a responsável pelos últimos lançamentos de Quentin Tarantino, como “Django Livre” e “Bastardos Inglórios”, e também pelos vencedores do Oscar “O Discurso do Rei” e “O Artista” – e deve continuar assim.