Anúncio de HIV de Magic Johnson completa 20 anos

Ganhador de cinco títulos da NBA, o jogador se afastou do esporte para tratar uma doença que em 1991 ainda era tabu, tornando-se um porta-voz da prevenção a Aids

Washington – A grande estrela do basquete Magic Johnson anunciou há exatos 20 anos que estava infectado com o HIV, mas disse que mesmo assim esperava viver muito tempo, um desejo que se realizou e com o qual tentou inspirar milhares de pessoas neste longo caminho.

Earvin ‘Magic’ Johnson, um dos melhores jogadores da história da modalidade, afirmou em entrevista coletiva no dia 7 de novembro de 1991 que o vírus da Aids era outro desafio em sua vida.

O ex-jogador, que foi uma das grandes estrelas do Los Angeles Lakers, equipe pela qual atuou 12 temporadas e com a qual conseguiu cinco títulos da NBA, disse então: ‘a vida segue e voltarei a ser um homem feliz’.

Exatamente 20 anos mais tarde, as redes de TV americanas e a imprensa esportiva recordam suas palavras e o tratam como exemplo de superação.

Ganhador de cinco títulos da NBA e três vezes MVP da competição, se aposentou do basquete em um momento bom na carreira, para tratar uma doença que em 1991 ainda era tabu.

Johnson prometeu se transformar em um porta-voz dos perigos da Aids e seu Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e pediu que as pessoas levassem a sério a ameaça, tomassem medidas preventivas nas relações sexuais e se submetessem a exames.

O ex-jogador não sabia como havia sido infectado com o vírus, mas pouco depois confessou que foi contagiado por sua ‘promiscuidade heterossexual’. No entanto, sua mulher, com a qual tinha se casado dois meses antes, não foi infectada.

‘Às vezes, não damos a devida importância às notícias nesse sentido e pensamos que nunca vai acontecer nada com a gente. Achamos que acontece somente com os homossexuais e jamais conosco. Isso pode acontecer com qualquer um, todo mundo deve ter cuidado’, alertou.


Johnson começou a fazer aparições públicas para falar diante de jovens de todo o mundo sobre o HIV e a aids, e a Organização Mundial da Saúde (OMS) lhe indicou como um exemplo para que os doentes saibam que podem ter uma vida normal.

Atualmente, Johnson é um empresário bem-sucedido, possui mais de 125 cafés, dez cinemas, uma rede de restaurantes e vários ginásios construídos ao longo de todo o território americano, com um faturamento aproximado de US$ 1 bilhão.

Em recente entrevista para o jornal francês ‘L’Équipe’, Magic disse que ‘trabalhar é a única coisa’ que ama na vida. Ao lembrar do aniversário, declarou que foi um momento difícil, mas também ‘magnífico’ porque lhe deu a oportunidade de educar as pessoas sobre o vírus e a aids.

‘Acho que ajudei a salvar vidas’, considerou.

Segundo dados da OMS, atualmente, 33,3 milhões de pessoas no mundo vivem com o HIV, 65 % delas vivem na África Subsaariana. Em 1999, eram 26,2 milhões, com 1 milhão e 800 mil apenas na América Latina.

Nascido em Lansing (Michigan) no dia 14 de agosto de 1959, Johnson é o mais novo de 12 irmãos. Seu pai, Earvin, era carpinteiro durante a semana e trabalhava como lixeiro nos fins de semana para sustentar à família.

Aos 15 anos, o ex-atleta já era uma estrela do basquete em sua área. Era hábil como pivô e ala. Com uma altura de 2m06, jogou nos Lakers por 12 temporadas, com uma média de 19,7 pontos, 7,3 rebotes e 14,4 assistências por jogo. Esteve em nove finais, e é o líder da NBA em assistências, com 9.921.

Após anunciar sua aposentadoria, em 1991 ,voltou às quadras de basquete um ano mais tarde. Em 1992, foi nomeado membro da Comissão Nacional contra a aids e após participar dos Jogos Olímpicos de Barcelona, voltou a se retirar do esporte. De 1993 a 1995, realizou várias viagens por todo o mundo como agente contra a síndrome.

Em 1996, após quatro anos e meio de ausência, voltou a jogar pelo Los Angeles Lakers, mas três meses depois anunciava sua aposentadoria como um dos maiores jogadores da história. EFE