Acerte na compra

Um guia para o homem que gosta (ou não) de escolher roupa

Se fazer compras soa tão agradável para você quanto um exame médico, você está entre os 90% dos homens normais, que só compram uma peça nova quando a antiga rasga. Para tornar essa tarefa menos penosa, convocamos um time de experts em moda masculina, com dicas para facilitar sua vida na hora de escolher a roupa certa.

Regra número 1: aproveite os períodos de liquidação (confira nesta página a linha do tempo da compra boa). Número 2: não saia sem uma lista do que você precisa. Não sabe fazer essa lista Anote num papel as peças que você mais usa, mas que já estão velhas, as que você precisa para combinar com algo que já tem no armário e as que você simplesmente gostaria de ter.

MANUAL DO COMPRADOR

Peça ajuda – Faça a vendedora (se for gatinha, melhor) trabalhar para você. Peça a ela que tire suas medidas, ache seu número, coordene cores e estampas e tire os alfinetes das camisas. Leve aquela sua gravata que parece não combinar com nada e deixe que a moça despenque as prateleiras para agradá-lo.

Seja fiel – Faça uma seleção de lojas que tenham o seu estilo. Guarde o nome do vendedor ou da vendedora que lhe atendeu bem e peça para avisá-lo das promoções. Você pode ter acesso a mordomias como convites para desfiles, festas de lançamento das coleções e liquidações antecipadas, se o gerente da loja souber quem você é.

Vista-se direito – Bilionários podem usar papetes e shorts de tactel quando fazem compras. Se você quer realmente receber atenção, vista-se com seriedade e será bem tratado.

Só ou bem acompanhado? – Ponha na balança: se for sozinho, pode escolher a vendedora mais gostosa para lhe atender e ficar com o cartão dela (para saber se o conserto ficou pronto, claro). Já se levar a sua gata, ela pode lembrá-lo que você já tem outras cinco camisas com listras azuis no armário.

Sobretudo

“Compre os de lã, que podem ser usados tanto em temperaturas baixas quanto em médias”, diz Richard Stad, da Aramis Menswear. De cashmere é ainda melhor e mais caro. Para o nosso clima, os modelos curtos, acima do joelho, são os melhores.

Terno

O caimento é o mais importante de tudo. Os paletós da moda estão mais curtos, mas ainda cobrem o traseiro. “Na frente do espelho, prove parado com os braços ao longo do corpo e procure pelo equilíbrio”, diz João Camargo, da Camargo Alfaiataria. “Quando abrir o botão, o paletó não deve desbeiçar nem empinar a frente.”

Camisa

Acerte o tamanho pelo colarinho. Camisa social é medida em centímetros ou polegadas, e a casual, em tamanho (P, M, G ou 2, 3, 4). As atuais não sobram nas laterais ou nos punhos. As boas têm fio acima de 50. “Se for de algodão egípcio, melhor ainda”, diz Sônia Hess, da Dudalina.

Gravata

Procure por um fio solto no verso e resista à tentação de puxá-lo. “Ele significa que o modelo foi finalizado à mão”, diz Simone Tarchi, da Zegna. As da moda estão mais estreitas, com 7 cm. “A tendência agora tem inspiração indiana, com cores mais fortes ou naturais”, diz ela.

Sapatos

Se o modelo é social, investigue as bordas e costuras, que devem ser delicadas. Nunca compre sapatos de manhã, pois os pés se expandem durante o dia. Prefira os modelos com forro de couro. “Os solados flexíveis são muito confortáveis, mas, para os modelos sociais, prefira os que têm parte do solado de couro e parte de borracha (conhecidos por meia-pata)”, diz Jorgito Donadelli, da Donadelli.

Jaqueta de couro

O bom couro deve ser macio e dobrar facilmente – o sem qualidade é brilhante e rígido. Verifique o forro: os melhores são os de algodão, mas alguns sintéticos, como o de raiom, não são ruins. “O modelo da moda tem bolsos com lapela e gola e punhos de tricô. Mas, se a ideia é ter um modelo atemporal, fique com o de zíper frontal na cor marrom, mais versátil que a preta”, diz Tico
Sahyoun, da Los Dos.

Suéter

Cheque a etiqueta para saber o país de origem da lã. A Mongólia e a Escócia têm as melhores lãs, mas o Chile tem caprichado. “A lã merino é fina e mais adequada ao nosso inverno de temperaturas amenas”, diz Alexandre Brett, da VR Menswear. Depois de manipular uma peça de cashmere, esfregue os seus dedos: eles não podem soltar pelo nem ficar engordurados. “O que está em alta é o cardigã mais justo. Pode ser com zíper, liso ou listrado”, indica Alexandre.

Calças

“Vire do avesso e verifique as costuras. Os pontos devem ser apertados e sem linha solta”, diz Marcelo Abrão, da Yachtsman. A profecia da barra: faça-a na hora da compra ou você terá preguiça e viverá com uma calça empapada para todo o sempre. A dica é acertar a bainha na diagonal – mais curta na frente do que atrás.

Tênis

Para ficar na moda, você tem duas opções: comprar modelos retrôs, inspirados nos clássicos dos anos 70 e 80, ou apostar na série de modelos discretos com solado baixo, inspirados no Converse All-Star. É bom lembrar que os modelos de tecido são mais frescos, porém mais frágeis, enquanto os de couro são mais resistentes e duráveis. Embora o branco esteja na moda, as cores mais versáteis são o marrom-café e o bege, seguidas pelo preto.

VÁ ALÉM DO ÓBVIO DE CADA MARCA

Algumas marcas estão tão associadas a um tipo de peça, que você pode nem desconfiar que elas também mandam muito bem em outras frentes. A Lacoste, por exemplo. A maioria das pessoas a associa imediatamente à camisa polo, mas a marca também tem ótimos tênis e malhas. Confira outros exemplos:

1. Ricardo Almeida – além de ternos e camisas, experimente jaquetas de couro e camisetas italianinhas (aquelas com botõezinhos) e gola careca.

2. Diesel – além dos jeans, veja cintos pesados e camisas casuais charmosas.

3. Armani – além de ternos, veja smokings.

4. Louis Vuitton – além das malas, olhe gravatas, tênis e sapatos