Abramovich planeja reformar mansão de R$ 300 milhões

O dono dos "Blues" deve construir um cômodo no qual exporá várias obras de arte adquiridas junto à namorada, a também russa Dasha Zhukova

Londres – A Prefeitura do bairro londrino de Chelsea vem acertando as últimas licenças necessárias para que o magnata russo Roman Abramovich reforme uma mansão do século XVII às margens do rio Tâmisa, avaliada em 100 milhões de libras (R$ 302 milhões) para transformá-la em sua residência.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira pelo jornal “Evening Standard”.

O empresário de 46 anos, dono do clube de futebol Chelsea, entrou há três anos em um projeto no qual pretende unir três propriedades germinadas, entre elas uma mansão clássica que pertenceu ao pintor americano James Whistler.

Os planos de Abramovich, que começaram a ser analisados pelo Consistório do bairro de Chelsea em novembro de 2010, provocaram protestos de alguns moradores da área, que consideram que a grande reforma reduzirá sua vista para o rio.

Os proprietários imóveis próximos ao do bilionário russo mostraram, além disso, sua preocupação com os riscos que a escavação de dois novos andares subterrâneos, incluídas no projeto do magnata, poderiam representar para os edifícios vizinhos.

O dono dos “Blues” deve construir um cômodo no qual exporá várias obras de arte adquiridas junto à namorada, a também russa Dasha Zhukova, de 31 anos.

A mansão de Abramovich fica localizada em Cheyne Walk, junto à ponte de Battersea, uma das regiões mais valiosas da capital britânica, na qual também estão propriedades de outros famosos, como Mick Jagger, líder dos Rolling Stones.