A tristeza de Zlatan Ibrahimovic fora da Copa

Imprensa pôde ver a decepção no rosto do craque, após uma partida frustrante na qual ele cumpriu com perfeição seu papel marcando duas vezes

Estocolmo – Sem estar cercado de jogadores à sua altura e obrigado a fazer proezas solitárias, Zlatan Ibrahimovic tem motivos suficientes para estar triste após a eliminação da Suécia para Portugal na repescagem europeia para a Copa do Mundo do Brasil-2014.

Das tribunas do estádio Friends Arena de Solna, subúrbio de Estocolmo, a imprensa pôde ver a decepção no rosto do craque, após uma partida frustrante na qual, contudo, ele cumpriu com perfeição seu papel marcando duas vezes, mas acabou superado pelos três do português Cristiano Ronaldo (2-3).

Um jornalista esportivo português perguntou se Ronaldo era o melhor jogador do mundo. “Está em grande fase”, respondeu ‘Ibra’. Após a insistência do jornalista, o sueco repetiu calmamente: “Está em grande fase”.

Todos os países por onde o atacante de 32 anos passou na carreira estarão no Mundial brasileiro do ano que vem: Holanda, Itália, Espanha e França. Todos menos sua própria nação, a Suécia.

Ainda de cabeça quente, na coletiva de imprensa após a eliminação, Ibrahimovic deixou à mostra uma certa mágoa.

“Tenho que receber a bola nos pés para poder concluir com qualidade”, escreveu o atacante do Paris Saint-Germain num aplicativo para telefone celular, ‘Zlatan Unplugged’. O que ele quis dizer, porém, foi “meus companheiros não me ajudaram”.

As duas partidas contra Portugal lhe dão razão. Na partida de ida, uma derrota por 1-0, Ibra não tocou na bola dentro da área portuguesa. Já na volta, ele mostrou um eficiência irretocável com dois gols, um de cabeça após um escanteio, outro numa cobrança de falta.

Após os dois gols de Ibra, porém, CR7 voltou a brilhar, dando a vitória e a classificação para os lusos e calando o estádio de Solna.

Saindo de campo, Ibrahimovic manifestou resignação. “O que posso dizer? Demos o nosso melhor”.

A imprensa sueca admitiu que era cruel comparar uma equipe esforçada, mas pouco inspirada, com outra como a seleção portuguesa, rápida, precisa e mortal no contra-ataque.

“Não era Cristiano Ronaldo que passava a bola para Cristiano Ronaldo. A Suécia sofreu por não contar com dez jogadores capazes de tocar com qualidade para Ibrahimovic”, explicou o diário Aftonbladnet.

Após a Eurocopa-2012, cada vez que a Suécia enfrentou equipes muito técnicas, somente boa vontade não foi suficiente. As derrotas em casa para o Brasil (3-0 em agosto de 2012), Argentina (3-2 em fevereiro 2013) e Alemanha (5-3 em outubro 2013) servem de exemplo.

Teria sido necessário outro jogador como Ibrahimovic no meio de campo para poder superar a Alemanha nas eliminatórias, ou Portugal na repescagem.

Mas ‘Ibra’, com 48 gols em 96 jogos com a seleção sueca, ficará na história do futebol do país.

Para o diário Expressen, Ibra continua sendo o ‘rei’ do futebol nacional, “e terá que ser convencido a jogar o Mundial-2018, quando terá 36 anos”.

O jogador já havia dito que, caso a Suécia se classifique para a Eurocopa-2016 na França, participaria da competição, mas não iria à Rússia para a Copa de 2018.

“Esta era minha última participação nas eliminatórias para uma Copa do Mundo. Daqui a tantos anos, é provável que não estarei mais jogando pela seleção”, declarou o próprio Zlatan Ibrahimovic.