A história da concessionária DKW que continua na ativa

Sonho de um gaúcho apaixonado pela marca, loja fabrica peças à moda antiga e já exporta para o mundo todo

Já pensou voltar 60 anos no tempo e acompanhar o auge do sucesso do primeiro carro fabricado no Brasil? Por incrível que pareça, isso agora é possível, mesmo sem terem inventado a máquina do tempo.

É que, ao entrar na concessionária DKW em São Leopoldo (RS), a sensação é de voltar ao passado, entre os anos 1956 e 1967, período em que os modelos da marca alemã foram produzidos no país pela Vemag.

Essa impressão já tomou conta dos moradores da cidade que passam pela rodovia BR-116, no trecho que liga o município à capital Porto Alegre, e deparam com uma construção de 754 metros quadrados, que exibe em sua fachada iluminada modelos de sucesso como Belcar, Vemaguet e Pracinha, além de um exemplar de competição ano 1964.

O responsável por fazer funcionar essa “máquina do tempo” é o empresário Fernando Jaeger, que resolveu fazer uma homenagem para a marca construindo uma legítima concessionária DKW. “Para mim, foi um sonho realizado”, afirma.

Fernando Jaeger, empresário gaúcho que criou a concessionária Dekabras Jaeger e suas peças em embalagens “originais”: recursos modernos na produção (Marco de Bari/Quatro Rodas)

A paixão pela marca começou nas pistas. Em 1985, assistindo a uma corrida em Caçapava do Sul, apaixonou-se pelo modelo.

No ano seguinte, montou um DKW e disputou seu primeiro campeonato, ganhando o apelido de “Faísca”. Em 1987 foi campeão gaúcho, fato que se repetiu por mais seis vezes na carreira que se estendeu até 1993.

Jaeger ficou um tempo longe dos modelos, mas em 2006 adquiriu seu primeiro DKW para passeio, um Belcar 1965. “Na restauração, tive muita dificuldade em encontrar peças. Então, devido à experiência com as competições, decidi fabricá-las.”

Conjunto de coroa e pinhão vendidos na concessionária Dekabras Conjunto de coroa e pinhão: esmero na fabricação (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Começou a comprar um DKW atrás do outro, chegando a 12 raridades. Com a alta demanda por suas peças, resolveu construir uma agência que, além de oferecer serviços mecânicos de confiança aos proprietários, teria um showroom da linha Vemag.

A obra durou três anos e recebeu o nome de Dekabras em homenagem a uma oficina paulista de DKW dos anos 60. O investimento total foi de 800.000 reais e nem todos entenderam o modelo do negócio.

“Todo mundo dizia que ele era um maluco e que eu não deveria deixá-lo ir adiante”, diz a esposa, Ivanir, sua grande incentivadora. Tranquilo, o empresário afirma que não tem a intenção de lucrar.

Fachada da concessionária Dekabras Contraste na BR-116: fachada espelhada emoldura os carros que fizeram sucesso entre as décadas de 1950 e 1960 (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Não só os DKW recebem tratamento especial. A concessionária conta com uma suíte para os viajantes. “A intenção é atender as esposas dos admiradores vindos de locais distantes. Ao nos encontrarmos, não tem hora para acabar a conversa”, diz Jaeger.

A loja também possui um modelo de test-drive: um Belcar 1965 com mecânica aprimorada. “Vou com ele em todos os eventos de DKW para provar que é possível ter um carro da marca sem se preocupar em ficar no caminho.” Ele é equipado com freio a disco, que permite uma condução mais confiável, principalmente ao enfrentar a estrada.

Conjunto de bielas e rolamentos vendidos na concessionária Dekabras Conjunto de bielas e rolamentos: apresentação também é caprichada (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Com quatro anos de mercado, a concessionária conta com um catálogo de peças de 272 modelos. “Estamos vendendo para o mundo todo e estou surpreso com o sucesso.”

O business plan da Dekabras talvez fosse gongado numa bancada de investidores, mas se mostra sustentável e próspero. 

Origem

Dekabras A primeira Dekabras, em foto da década de 60 (Reprodução/Puma Classic)

O empresário Fernando Jaeger inspirou-se em uma oficina de peças genuínas e serviço autorizado que funcionava em São Paulo durante a década de 60 para conceber o projeto de sua agência. Como homenagem, batizou-a com o mesmo nome.