A fama também é um vício, diz Deepak Chopra

Sobre a morte de Whitney Houston, guru diz que médicos “viciados” em celebridades e a fama são responsáveis por fatalidades como a ocorrida com a cantora

São Paulo – A incapacidade de dizer “não” a celebridades faz com que médicos e farmacêuticos também sejam responsáveis por acontecimentos como a morte de Whitney Houston. Essa posição foi defendida pelo médico e guru Deepak Chopra em entrevista à emissora de TV americana CNN.

Ao comentar o caso da cantora, Chopra afirmou que há médicos conhecidos como “conciérge”, “doutores de butique”, que possuem usinas de remédios prescritos a celebridades. “Então, você tem uma pessoa conseguindo prescrições de vários médicos. Os farmacêuticos costumam saber disso, mas frequentemente ignoram a situação. Isso seria uma coisa bem fácil de monitorar, mas ainda assim as pessoas têm esse problema”, afirmou.

Esse comportamento, segundo ele, existe porque a fama em si é também um vício. Por causa dela, profissionais da saúde e outras pessoas não conseguem dizer “não” a quem é rico, considerado poderoso ou famoso. “Aqui, temos vários tipos de dependências. A dos médicos, que são viciados em celebridades, a fama é um vício por si só, e essas relações codependentes e disfuncionais que iniciam e perpetuam o processo”, disse Chopra.

O comentário se encaixa também no caso da morte de Michael Jackson, ocorrida em 2009 após uma overdose do anestésico propofol, administrado pelo médico Conrad Murray. No final do ano passado, o doutor foi julgado e condenado a quatro anos de prisão, mas recorreu da decisão.

A causa exata da morte de Whitney Houston ainda não foi esclarecida. A cantora foi encontrada morta no último final de semana, submersa em uma banheira de um hotel em Los Angeles. Uma das hipóteses levantadas pela polícia é de que médicos tenham fornecido medicamentos de forma ilegal a Whitney, ocasionando sua morte.