7 boas exposições que se despedem de São Paulo em outubro

Centenário do pintor Athos Bulcão, bastidores de filmes de Hitchcock e "Histórias Afro-Atlânticas", no Masp, são alguns destaques

100 ANOS DE ATHOS BULCÃO

A mostra celebra a obra de um dos mestres da segunda fase do modernismo brasileiro (1918-2008), cuja produção é comumente lembrada por seus trabalhos presentes em Brasília. A ideia da mostra, com cerca de 300 obras, é destacar a azulejaria e outras facetas do artista, incluindo seus desenhos, pinturas, fotomontagens e até mesmo cenários e figurinos para teatro e ópera. CCBB. R. Álvares Penteado, 112, Centro, 3113-3651. 9h/21h (fecha 3ª). Grátis. Até 15/10.

HITCHCOCK – BASTIDORES DO SUSPENSE

O MIS promove uma grande exposição sobre o diretor, produtor e roteirista britânico (1899-1980), que passou parte significativa da carreira nos Estados Unidos. Sob curadoria de André Sturm, cineasta e ex-diretor do museu, a mostra busca transpor o visitante para um set de filmagem – em uma expografia imersiva, será possível conhecer os bastidores da produção (e da vida) do mestre do suspense. MIS. Av. Europa, 158, Jd. Europa, 2117-4777. 10h/20h (dom. e fer., 9h/18h; fecha 2ª). R$ 12 (3ª, grátis). Vendas pelo site: http://www.ingressorapido.com.br (R$ 20). Até 21/10.

HISTÓRIAS AFRO-ATLÂNTICAS

O Masp e o Instituto Tomie Ohtake exibem mais de 400 obras de cerca de 210 artistas. Com curadoria de Adriano Pedrosa e Lilia Schwarcz, em parceria com Ayrson Heráclito, Hélio Menezes (convidados) e Tomás Toledo (assistente), a mostra destaca fluxos entre povos atlânticos desde o século 16 até hoje. A seleção inclui brasileiros (ou radicados aqui) como Portinari, Carybé (foto) e Cícero Dias e estrangeiros como Albert Eckhout e Debret. Masp. Av. Paulista, 1.578, metrô Trianon-Masp, 3149-5959. 10h/18h (5ª, 10h/20h; fecha 2ª). R$ 35 (3ª, grátis). Até 21/10. Instituto Tomie Ohtake. R. Coropés, 88, Pinheiros, 2245-1900. 11h/20h (fecha 2ª). Grátis. Até 21/10.

VALESKA SOARES: ENTREMENTES

Ligada a temas como memória e afeto, a exposição reúne pinturas, colagens, objetos, instalações e esculturas que contemplam 30 anos de produção da artista mineira radicada em Nova York. Estação Pinacoteca. Lgo. Gal. Osório, 66, Luz, 3335-4990. 10h/18h (fecha 3ª). Grátis. Até 22/10.

GALERIA RAQUEL ARNAUD

O espaço recebe duas exposições. ‘Pinturas de Célia Euvaldo’ traz telas com cores abertas e vibrantes, em contraste com os habituais pretos e brancos utilizados pela artista. ‘Ensaios’, de Elizabeth Jobim, apresenta esculturas inéditas com materiais como gesso, cimento e pedra em dimensões variadas. R. Fidalga, 125, V. Madalena, 3083-6322. 10h/19h (sáb., 12h/16h; fecha dom.). Grátis. Até 27/10.

GEOMETRIA EM SÍNTESE

Com obras de nomes como Geraldo de Barros, German Lorca, Mira Schendel e Sergio Camargo, a exposição destaca a aplicação do preto e do branco na arte brasileira, sobretudo entre as décadas de 1950 e 1970. Sob curadoria de Felipe Scovino, ressalta também o papel do pensamento construtivo no período. Galeria Simões de Assis. R. Sarandi, 113, Cerqueira César, 3062-8980. 10h/19h (sáb., 10h/15h; fecha dom. e fer.). Grátis. Até 27/10.

O OUTRO TRANS-ATLÂNTICO: ARTE ÓTICA E CINÉTICA NO LESTE EUROPEU E NA AL ENTRE OS ANOS 50 E 70

A mostra apresenta cerca de cem obras produzidas por mais de 30 artistas e coletivos no período do pós-guerra. Na seleção brasileira, aparecem nomes como Abraham Palatnik, Lothar Charoux e Lygia Clark. Entre outros latino-americanos, estão Julio Le Parc e Carlos Cruz-Diez. E Vera Molnar, Grzegorz Kowalski e Vyacheslav Koleychuk são alguns dos nomes europeus. Sesc Pinheiros. R. Paes Leme, 195, 3095-9400, metrô Faria Lima. 10h30/21h30 (dom. e fer., 10h30/18h30; fecha 2ª). Grátis. Até 28/10.