6 perguntas para descobrir se você é carismático

Cientistas desenvolveram o primeiro teste - bem curtinho - capaz de medir o carisma de qualquer pessoa no dia a dia

No jogo The Sims, quando você queria tornar um personagem carismático, você precisava passar horas na frente do espelho ensaiando discursos ou alugando outras pessoas com papo chatos até ganhar essa habilidade.

Na vida real, está longe de ser assim. Um grupo de cientistas criou uma nova ferramenta para estudar o carisma – um teste de apenas 6 itens, mas que revela muita coisa.

Primeiro, ele mostra o que importa no carisma do dia a dia. Isso porque a maior parte dos estudos sobre carisma fala de líderes, seja políticos, como Nelson Mandela e Adolf Hitler (este famoso pelo “carisma do mal”) ou figuras populares, como Madonna ou a Princesa Diana.

Mas e gente normal, como eu e você? O que nos torna mais ou menos carismáticos que os outros?

Para descobrir, os cientistas contaram com a sabedoria popular: reuniram 100 itens indicados por centenas de participantes relacionados ao carisma.

Depois, foi um duro trabalho de remover redundâncias, encontrar os itens mais estatisticamente significantes e avaliar quais importavam mais – tanto quando as pessoas avaliavam o próprio carisma quanto o alheio.

O resultado final foi o Inventário Geral de Carisma, que inclui os 6 itens abaixo.

As 6 perguntas do carisma

Responda-as sobre si mesmo, com números de 1 a 5, sendo 1-Discordo Totalmente e 5-Concordo Totalmente

Eu sou alguém que…

  1. Tem presença. Sei me impor mesmo em um local cheio de gente. (média = 3,2)
  2.  Tem a habilidade de influenciar os outros. (média = 3,53)
  3. Sabe liderar um grupo. (média = 3,38)
  4. Faz as pessoas se sentirem confortáveis. (média = 3,75)
  5. Sorri para os outros com frequência. (média = 3,62)
  6. Se dá bem com todo mundo. (média = 3,8)

Você deve ter reparado que, no meio, o teste muda de tom. É porque os pesquisadores dividiram o conceito de carisma em dois: influência afabilidade.

Pessoas carismáticas são aquelas capazes de inspirar confiança e persuadir os outros (influência), mas o que diferencia o carismático de um baita pentelho é seu comportamento amistoso e simpático (afabilidade).

Das 6 perguntas do Inventário, metade é destinada a medir cada um desses fatores.

O resultado final das suas respostas precisa ser comparado a alguma coisa. Uma opção são as médias estatísticas a que o estudo chegou – se você está bem acima delas, você é mais carismático que a maioria. Como você pode ver, as pessoas se consideram melhores na parte da afabilidade.

É mais fácil se destacar em questão de influência – porque menos gente se considera bom em liderar, se impor e persuadir os outros.

Para validar a escala, os pesquisadores compararam o Inventário com outros testes de personalidade. Descobriram, por exemplo, que pessoas que tiram notas mais altas de carisma são mais abertas e expressivas.

Também fizeram um teste de persuasão: pediram para dois participantes fazerem um discurso.

Um deles foi mal no teste, mas recebeu um discurso com argumentos fortes. O outro é supercarismático, mas recebeu um discurso péssimo. Quem convenceu mais? O carismático.

Um último resultado curioso é que eles submeteram os participantes a um teste cognitivo. E descobriram que o carisma não tem nada a ver com a inteligência.

Você pode tirar 1 em todas essas perguntas e ainda ser um gênio disfarçado. Só vai ser mais difícil convencer o mundo da sua genialidade…

Este conteúdo foi publicado originalmente no site da Superinteressante.