1ª série infantil sobre sexualidade é apresentada em festival na França

O objetivo da série é dar voz a uma figura distinta àquela que os jovens encontram em casa. E, além de informar, também se busca entreter

Toulouse — A primeira série infantil de animação do mundo que aborda a sexualidade de maneira educativa, “Sex Symbols”, foi apresentada no Cartoon Forum, realizado em Toulouse, na França, tendo como objetivo a dar respostas adequadas de acordo com a idade às crianças sobre o tema.

O ponto de partida do projeto, ainda não finalizado, foi a ausência de conteúdo adequado para crianças de nove a 14 anos, segundo explicou à Agência Efe a idealizadora do projeto, a espanhola Paloma Mora.

“Nós percebemos que, a partir dos nove anos, as crianças começam a pesquisar sobre sexualidade. Na internet, no entanto, só encontram pornografia”, conta.

Segundo Mora, isso provoca uma confusão na mente dos pré-adolescentes, já que faz com que eles passem a identificar a sexualidade com o modelo de submissão da mulher ao homem, perpetuado pela indústria pornográfica.

Para a produção, os roteiristas entraram em contato com médicos especializados em educação sexual e planejamento familiar para entender as relações que os jovens têm hoje em dia e os problemas que enfrentam.

Métodos contraceptivos, ereções ou a passagem de um corpo de criança ao de um adulto são algumas das dúvidas mais frequentes. Por isso, esses questionamentos protagonizam separadamente cada capítulo, onde são os próprios órgãos os encarregados de explicar cada situação.

O objetivo da série é dar voz a uma figura distinta àquela que os jovens encontram em casa. E, além de informar, também se busca entreter.

“A série conta histórias em forma de comédia e de maneira natural, que é a linguagem perfeita para chegar aos jovens”, explica Mora.

O capítulo piloto tem como protagonistas os ovários, que explicam o fenômeno da menstruação de forma didática e bem-humorada.

Além dos órgãos, “Sex Symbols” tem quatro protagonistas fixos, que exploram os diferentes temas através das vivências pessoais. Cada um conta com personalidade própria e atributos físicos diversificados, que permitem a identificação das crianças.

O perfil da criança sabe-tudo, o introvertido ou a intelectual protagonizam cada episódio, de aproximadamente 7 minutos de duração.

“Por se tratar de um tema como esse, que ainda é considerado um tabu pelas televisões, era necessário um capítulo piloto para mostrar o estilo, os personagens, mas também para que (o sexo) deixe de ser tratado como um assunto delicado”, acrescenta Mora.

O projeto, produzido pela “TV On Producciones”, custará 1,8 milhão de euros (R$ 8,2 milhões). A meta de Mora é finalizar a série ao longo de 2020. Por isso, sua apresentação no Cartoon Forum teve também o objetivo de arrecadar metade do montante que ainda falta ser captado.

O Cartoon Forum de Toulouse é o mais importante encontro do setor de animação para televisão da Europa e, este ano, comemora seu 30º aniversário. Entre os países participantes, a França é o que mais tem produções apresentadas, com um total de 25.

O 2D segue liderando as produções do Cartoon Forum, mas o inovador formato do “transmídia”, no qual a história se desdobra através de diferentes plataformas, segue ganhando terreno. Vários dos projetos apresentados poderão ser vistos, além da televisão, em telefones celulares, tablets ou videogames.

As séries selecionadas para o evento – 85 no total – somam mais de 500 horas de transmissão e estão dirigidas, na sua maioria, a crianças de seis a 11 anos. Já as produções de animação para adultos rondam os 10%.

Esta edição recebeu cerca de mil profissionais do setor, entre produtores, investidores e canais de televisão de 24 países, que se reúnem anualmente na cidade francesa para fomentar parcerias e coproduções.