Volume da safra 2014 está consolidado, informou o IBGE

O Brasil espera um aumento na safra de 2014 para 19 dos 26 principais produtos agrícolas plantados no país, segundo o levantamento do IBGE

Rio – Embora o trigo ainda esteja no campo, a expectativa sobre a safra nacional de grãos não deve mudar mais este ano, segundo Mauro Andreazzi, gerente da Coordenação de Agropecuária do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Daqui até o fim do ano não deve mudar muito não. O que está no campo agora é o trigo, mas já está no meio da colheita. Aí já começa o plantio da safra do ano que vem”, declarou Andreazzi.

O Brasil deve ter uma safra recorde de 7,9 milhões de toneladas de trigo este ano, um crescimento de 37,8% na produção em relação a 2013, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de setembro, divulgado nesta quinta-feira, 09, pelo IBGE.

A previsão é de aumento de 23,3% na área colhida e expansão de 11,7% no rendimento médio.

O destaque é a recuperação da safra do Paraná, que aguarda uma produção de quase 4 milhões de toneladas, um salto de 113% ante a do ano passado.

“O Paraná, que é o maior produtor, termina a colheita da safra de trigo em setembro. Setembro é o pico da colheita. Santa Catarina e Rio Grande do Sul plantam mais tarde, então a colheita vai até novembro”, lembrou Andreazzi.

Produtos

O Brasil espera um aumento na safra de 2014 para 19 dos 26 principais produtos agrícolas plantados no país, segundo o levantamento do IBGE.

Em relação à produção do ano passado, houve alta na estimativa de produção para o algodão herbáceo em caroço (22,6%), arroz em casca (3,5%), aveia em grão (3,0%), batata inglesa 1ª safra (7,2%), batata-inglesa 3ª safra (4,6%), cacau em amêndoa (3,3%), café em grão – conilon (18,9%), cana-de-açúcar (1,3%), cebola (6,7%), cevada em grão (4,5%), feijão em grão 1ª safra (34,5%), feijão em grão 2ª safra (8,8%), laranja (0,9%), mamona em baga (170,4%), mandioca (9,9%), milho em grão 2ª safra (2,4%), soja em grão (5,5%), trigo em grão (37,8%) e triticale em grão (0,0%).

As altas mais significativas ocorreram na cana-de-açúcar (9,779 milhões de toneladas), soja (4,505 milhões de toneladas), trigo (2,163 milhões de toneladas) e mandioca (2,099 milhões de toneladas).

Os sete produtos com queda foram amendoim em casca 1ª safra (-20,0%), amendoim em casca 2ª safra (-17,5%), batata-inglesa 2ª safra (-0,4%), café em grão – arábica (-14,8%), feijão em grão 3ª safra (-11,3%), milho em grão 1ª safra (-10,5%) e sorgo em grão (-10,7%).

Já a maior variação negativa, em números absolutos, foi do milho em grão 1ª safra, com 3,602 milhões de toneladas a menos.