Vinho europeu exportado à China não recebe subsídios, diz UE

Foi aberta uma investigação antidumping na China em resposta às tarifas que Bruxelas impôs à importação de painéis solares

Bruxelas – As exportações de vinho europeu à China não contam com subsídios, afirmou nesta quarta-feira a Comissão Europeia, após a abertura, por Pequim, de uma investigação antidumping, em resposta às tarifas que Bruxelas impôs à importação de painéis solares.

“Estamos convencidos de que não há dumping ou subsídios às exportações de vinhos europeus à China”, disse o porta-voz da Comissão, Olivier Bailly, à imprensa.

“Tomamos nota do anúncio da China. Consideramos que é um anúncio importante ao qual teremos que responder”, acrescentou.

Segundo Roger Waite, porta-voz do comissário europeu de Agricultura, “há subsídios para a produção de vinho na Europa, mas não para as exportações”.

A China anunciou nesta quarta-feira a abertura de uma investigação antidumping aos vinhos importados da União Europeia, um dia após a decisão da Comissão Europeia de instaurar tarifas provisórias às importações de painéis solares chineses.

“Como qualquer membro da OMC, a China tem o direito de abrir uma investigação sobre dumping e supostos subsídios da Europa”, disse Baily. “Evidentemente, apoiamos nossa indústria vinícola durante esta investigação” que Bruxelas segue de perto, acrescentou.

A China absorveu 11,4% das exportações de vinhos da UE em 2012, por um valor de 763 milhões de euros, segundo dados da Comissão. Os principais exportadores europeus ao mercado chinês são França (546 milhões de euros), Espanha (89 milhões) e Itália (77 milhões).