Venezuela reativa leilão de divisas com oferta de US$ 200 mi

A recepção de ordens de participação graças à reativação do Sistema Complementar de Administração de Divisas (Sicad) será iniciado nesta sexta-feira e terminará no dia 16

Caracas – O Banco Central da Venezuela (BCV) reativou nesta quinta-feira o sistema de leilões de divisas com a convocação de duas sessões em que serão oferecidos US$ 200 milhões, sendo US$ 170 milhões para o setor empresarial e US$ 30 milhões às pessoas comuns.

“O montante do leilão para pessoas jurídicas ascende a US$ 170 milhões. Os participantes poderão oferecer um mínimo de US$ 8 mil e um máximo que não exceda 0,6% do total leiloado”, detalhou o BCV em um comunicado divulgado hoje.

A recepção de ordens de participação graças à reativação do Sistema Complementar de Administração de Divisas (Sicad) será iniciado nesta sexta-feira e terminará no próximo dia 16.

No documento, o Banco Central também informou que poderão participar cidadãos que habitarem qualquer parte do país, além de empresas dos estados litorâneos de Falcon (oeste) e Nova Esparta (leste), onde funcionam as zonas livres.

Também participarão empresas do setor automotivo e da área da saúde para importação de equipamentos médicos e separados.

Na quarta-feira, o diretor do BCV, Armando León, indicou que, ao contrário do leilão realizado em março, abrirão as operações com pessoas naturais, incluindo cidadãos que necessitam viajar por razões de saúde ou participar de eventos científicos e esportivos.

O Sicad foi criado em março, após a desvalorização de quase 32% do bolívar, e após a eliminação do chamado Sistema de Transações com Títulos em Moeda Estrangeira (Sitme), outro sistema que permitia empresas e também pessoas naturais obter divisas a uma taxa superior à oficial.