Venezuela pede US$ 5 bi ao FMI para lidar com impactos do coronavírus

Nicolás Maduro afirmou que o governo venezuelano tem tomado medidas contra a disseminação da Covid-19, principalmente após a confirmação do 1º caso no país

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou carta nesta semana à diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Kristalina Georgieva, solicitando US$ 5 bilhões do fundo emergencial do Instrumento Financeiro Rápido (RFI, na sigla em inglês) do Fundo, para lutar contra a disseminação do coronavírus.

Na mensagem, Maduro diz que o mundo enfrenta uma “batalha inesperada” contra a pandemia, o que requer uma ação articulada para minimizar suas consequências.

Maduro diz que seu governo tem executado medidas “abrangentes, estritas e exaustivas de prevenção e controle”, sobretudo após a confirmação dos primeiros casos no país.

A mensagem, datada de 15 de março, foi revelada publicamente hoje pelo ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, em sua conta no Twitter.

Anteriormente, o FMI havia dito que poderia realizar empréstimos aos países em apoio na luta contra o coronavírus.

Não há, porém, até agora notícia sobre uma resposta ao pedido de Caracas.