Venezuela garante participação em refinaria de Pernambuco

Brasil e Venezuela concordaram em construir a refinaria conjunta em 2005, mas em 2007 a Petrobras decidiu iniciar a construção sozinha

Caracas – O ministro de Energia e Petróleo da Venezuela, Rafael Ramírez, se mostrou nesta sexta-feira convencido que seu país terá participação na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, pois deu à Petrobras garantias ‘em dinheiro’.

‘Agora o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) está liquidando seus trâmites (…) Já temos esse dinheiro e o estamos colocando como garantia. Acho que não há uma garantia mais sólida que dinheiro’, disse Ramírez aos jornalistas após o VIII Conselho Ministerial de Petrocaribe.

‘Como queriam garantias, então, buscamos dinheiro e aí está. Então, agora o BNDES tem que fazer alguns trâmites e entramos na refinaria’, acrescentou o também presidente da estatal Petróleos da Venezuela (PDVSA).

Ramírez informou que recentemente falou ‘diretamente’ com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e ambos concordaram em estender por outros 60 dias o prazo para que a PDVSA consigne as garantias, tempo que começou a correr a partir de 30 de novembro.

Os governos de Brasil e Venezuela concordaram em construir a refinaria conjunta em 2005, em Pernambuco, mas em 2007 a Petrobras decidiu iniciar a construção sozinha porque a PDVSA havia adiado os pagamentos comprometidos.

Este projeto prevê um investimento de US$ 15,3 bilhões em uma refinaria com capacidade para processar 230 mil barris diários de petróleo a partir de 2013, sobre a qual a Petrobras terá 60% e PDVSA, 40%.


Hugo Chávez, presidente venezuelano, disse no dia 29 de setembro que há setores dentro da Petrobras que não estão interessados em que se cumpra o acordo com a Venezuela sobre a refinaria.

No entanto, em novembro, Chávez deu por encerrada a polêmica em torno do projeto para a construção da refinaria e, depois de se reunir com o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que o amor ‘prevaleceu’ entre ambos países.

Chávez informou então que Ramírez lhe garantiu que os problemas que surgiram em torno do projeto de Pernambuco se solucionariam antes de 30 de novembro. ‘A refinaria está adiantada. Acho que será inaugurada em breve. Isso não se deteve, está em plena construção’, sustentou.