Vendas no Natal crescem 4,7% em 2017 após três anos em queda

Nos últimos anos, as vendas a prazo no Natal tiveram quedas de 1,46 por cento (2016), 15,84 por cento (2015) e 0,7 por cento (2014)

As vendas a prazo para o Natal cresceram em 2017 após três anos de consecutivos de retração, de acordo com dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) nesta terça-feira.

As consultas para vendas a prazo no período de 18 a 24 de dezembro aumentaram 4,72 por cento na comparação com 2016, sendo a data comemorativa de 2017 com o aumento mais expressivo, conforme as entidades.

A Páscoa teve acréscimo de 0,93 por cento e o Dia das Crianças, elevação de 3 por cento, enquanto o Dia das Mães apurou queda de 5,50 por cento, o Dia dos Namorados teve recuo de 9,61 por cento e o Dia dos Pais, baixa de 2,18 por cento.

Nos últimos anos, as vendas a prazo no Natal tiveram quedas de 1,46 por cento (2016), 15,84 por cento (2015) e 0,7 por cento (2014).

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro, o resultado é consequência da melhora da conjuntura e da proximidade do fim da crise econômica.

“O acesso ao crédito mais difícil e os juros elevados ainda limitam o poder de compras dos brasileiros, mas com a economia dando sinais de retomada, os consumidores foram às compras de forma menos tímida que nos últimos anos e também nas outras datas comemorativas de 2017”, afirmou em nota.

Ele acrescentou, contudo, que o crescimento deste ano ainda está longe dos resultados dos anos anteriores à crise econômica.

Ainda segundo o levantamento do SPC Brasil, o gasto médio do brasileiro com o total de presentes de Natal girou em torno de 461,91 reais. A estimativa era de que a data movimentasse cerca de 51 bilhões de reais na economia.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Emerson Hanffrens

    Está aí mais um excelente resultado da retomada da economia… Bons frutos que estão colhendo pelas atitudes de Henrique Meirelles no Min. da Fazenda.