Valec deve parcelar próximas compras de trilhos, diz TCU

Tribunal determinou nesta quarta-feira que a estatal parcele os próximos processos de compras para impedir que apenas uma empresa continue vencendo os pregões

Brasília – Após uma sequência de irregularidades em licitações para compra de trilhos pela Valec, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nesta quarta-feira, 25, que a estatal parcele os próximos processos de compras para impedir que apenas uma empresa continue vencendo os pregões.

O processo analisado pelo TCU diz respeito à compra de 95 mil toneladas de trilhos para a ferrovia Norte-Sul entre Ouro Verde (GO) e Estrela d’Oeste (SP), revogada pela própria Valec em março.

De acordo com o ministro do tribunal relator do processo, Walton Alencar Rodrigues, foi a quarta licitação em série da estatal revogada por suspeitas de irregularidades. Na ocasião, apenas a PNG em parceria com a chinesa Pangang se apresentou e ganhou a concorrência.

“Nenhuma outra empresa poderia fornecer esse quantitativo de trilhos. A licitação em análise constitui um mero simulacro de licitação, um túmulo horroroso onde se enterra toda a incompetência administrativa da Valec”, afirmou Rodrigues.

Além disso, o TCU constatou que a PNG é a mesma empresa da Dismaff, que havia vencido uma licitação anterior da Valec que também foi impugnada. “As companhias têm os mesmos sócios. Uma é backup da outra”, definiu Rodrigues.

A Dismaff está proibida de fornecer ao governo por ter sido considerada inidônea devido a um contrato com os Correios.