UE inicia processo de retaliação contra tarifas dos EUA

União Européia quer ficar isenta das sobretaxas de 25 por cento sobre o aço e 10 por cento sobre o alumínio que o presidente dos EUA, Donald Trump, aprovou

Bruxelas – A Comissão Européia pediu nesta sexta-feira uma avaliação da indústria sobre uma lista de produtos dos Estados Unidos que será sujeita a tarifas de importação, no primeiro passo para medidas em resposta aos planos dos EUA de sobretaxar a importação de aço e alumínio da Europa.

A União Européia quer ficar isenta das sobretaxas de 25 por cento sobre o aço e 10 por cento sobre o alumínio que o presidente dos EUA, Donald Trump, aprovou na semana passada. O secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, e a comissária de Comércio da UE, Cecília Malmstrom, se reúnem na próxima semana para discutir o assunto.

A Comissão Européia, que coordena a política comercial para os 28 países membros da UE, disse que, se o bloco não estiver isento das taxas, deverá fixar tarifas de 25 por cento sobre uma série de produtos dos EUA, cujas importações anuais para a União Europeia somam 2,8 bilhões de euros (3,45 bilhões de dólares).

A lista de 10 páginas de produtos que a UE pode taxar abrange desde arroz a suco de laranja, maquilagem, motocicletas, barcos a motor e pias de aço inoxidável. Também inclui muitos produtos de metais para uso na construção e indústria.

Alguns dos produtos podem estar sujeitos taxação dentro de meses. A UE diz que os EUA não podem usar a segurança nacional como uma justificativa para suas tarifas sobre os metais, o que significa que a Europa pode responder com medidas de “reequilíbrio”.

“Nós sentimos que estamos em bases legais muito sólidas”, disse uma autoridade da UE nesta sexta-feira.

Um segundo grupo de produtos somente seria tarifado se a Organização Mundial do Comércio (OMC) posteriormente declarar as tarifas dos EUA como ilegais, ou após um período de três anos.

Os dois conjuntos de produtos combinados visam compensar odano causado pela sobretaxa norte-americana para as exportações do bloco europeu de 6,4 bilhões de euros de aço e alumínio para os EUA.

A Comissão convocou os principais empresas afetadas pelas tarifas dos EUA e pela possível resposta da UE para se posicionarem até o dia 26 de março, para depois apresentar uma proposta formal.

Os 28 Estados membros da UE também teriam que concordar sobre qualquer ação.

O bloco também terá que notificar a OMC sobre possíveis medidas retaliatórias até 23 de maio, ou no prazo de 60 dias após a entrada em vigor das tarifas dos EUA. A União Europeia teria que promulgar essas medidas no mês seguinte.

Trump determinou que Ross discuta as “horríveis” tarifas e barreiras comerciais da UE com Bruxelas e ameaçou atingir o setor automotivo europeu.

A UE contesta a argumentação de Trump sobre as tarifas e sua ênfase em automóveis, tarifados pelos EUA em 2,5 por cento e pela UE em 10 por cento. Para outros produtos, como caminhões, as tarifas dos EUA são maiores.

“Não estamos negociando nossa isenção com os Estados Unidos. Não é aceitável tentar vincular uma solução para isso e qualquer questão ao acesso ao mercado ou negociações comerciais”, disse autoridade da UE.