UE aumenta previsão de crescimento na Eurozona para 2017

A expansão nos 19 países com a moeda única deve ser de 1,6% em 2017 e de 1,8% em 2018

A Comissão Europeia elevou as previsões de crescimento da zona do euro para 2017 e 2018, apesar de destacar a “alta incerteza” vinculada à nova administração americana de Donald Trump e ao Brexit.

A expansão nos 19 países com a moeda única será de 1,6% em 2017 e de 1,8% em 2018, de acordo com o Executivo comunitário, que nas previsões de novembro indicou altas de 1,5% e de 1,7%, respectivamente.

O crescimento para 2016 permanece inalterado, em 1,7%.

Entre os principais países da Eurozona, a Alemanha registrá um leve aumento de 1,6% em 2017 e de 1,8% em 2018, enquanto as previsões para França (1,4% e 1,7%, respectivamente) e Espanha (2,3% e 2,1%) permanecem inalteradas.

Portugal registra um avanço nas expectativas, de 0,9% a 1,3% em 2016, de 1,2% a 1,6% em 2017 e de 1,4% a 1,5% no próximo ano.

“A recuperação econômica na Europa continua pelo quinto ano consecutivo”, afirma em um comunicado o comissário europeu da moeda única, Valdis Dombrovskis, que fez um apelo, no entanto, para que os países estejam prontos para adaptar-se às “circunstâncias que mudam” e a prosseguir com as reformas estruturais.

Entre os fatores positivos da recuperação, Bruxelas destaca um crescimento real na zona do euro durante 15 trimestres consecutivos e a queda do desemprego, mas que continua “acima dos níveis anteriores à crise” financeira de 2008.

O Executivo comunitário, no entanto, destaca que a previsão está cercada de uma “incerteza particularmente alta”, vinculada “às intenções que ainda devem ser esclarecidas da nova administração dos Estados Unidos em áreas políticas chave”.

Bruxelas também aponta como causas da incerteza as eleições importantes previstas em 2017 na Holanda (março), França (abril, maio e junho) e Alemanha (setembro), além das negociações do Brexit depois que Londres notificar oficialmente o desejo de abandonar o bloco.

A respeito do Reino Unido, a Comissão elevou a previsão de crescimento em 0,5%, a 1,5%, para 2017, mas deixou inalterada em 1,2% a projeção de 2018, quando UE e Londres devem estar em plenas negociações do Brexit.

No conjunto, o crescimento dos 28 países de UE deve atingir 1,9% em 2016 e 1,8% em 2017, resultado que seria repetido em 2018.

As previsões da Comissão Europeia apresentam ainda um panorama mais positivo para la taxa de desemprego nos 19 países do euro, que deve cair progressivamente de 10,0% em 2016 para 9,6% em 2017, antes de chegar a 9,1% em 2018.

A inflação registraria uma aceleração na Eurozona de 0,2% em 2016, a 1,7% em 2017 e 1,4% em 2018, próximo da meta do Banco Central Europeu de uma inflação próxima, mas abaixo de 2%.