Ucrânia ameaça processar Rússia por aumento do preço do gás

O primeiro-ministro ucraniano ameaçou processar a Rússia se Moscou não baixar o preço do gás

Bruxelas – O primeiro-ministro ucraniano, Arseni Yatseniuk, ameaçou nesta terça-feira processar a Rússia se Moscou não baixar o preço do gás, e acusou sua vizinha de ter roubado esse recurso energético da Ucrânia ao anexar a Crimeia.

“Nós enviamos à Gazprom uma notificação” e pedimos à Rússia um “acordo baseado nas condições do mercado. Se a Rússia rejeitar esse acordo, nós vamos levá-la ao Tribunal” de Arbitragem “de Estocolmo”, declarou Yatseniuk durante uma coletiva de imprensa após uma reunião com a Comissão Europeia em Bruxelas.

“Restam 20 dias a eles. É o último apelo para que a Rússia sente à mesa de negociações para encontrar uma solução”, acrescentou.

Além disso, o premiê acusou a Rússia de ter “roubado bens ucranianos” durante a anexação da Crimeia e de ter roubado mais de 2 bilhões de metros cúbicos de gás.

Após a destituição do presidente Viktor Yanukovitch e a chegada ao poder de novas autoridades pró-europeias, a Rússia eliminou os descontos no preço do gás concedido à Ucrânia.

O preço do gás russo à Ucrânia é agora um dos mais altos entre os países europeus.

A gigante russa Gazprom exigiu na terça à companhia estatal ucraniana Naftogaz 1,66 bilhão como pré-pagamento para as entregas de gás de junho.

Ela indicou que a dívida da Ucrânia chega a 3,5 bilhões de dólares.

Na segunda-feira, a Gazprom advertiu que iria cortar o fornecimento de gás à Ucrânia no dia 3 de junho, se Kiev não pagasse com antecedência.

Exigindo que Moscou pare de “apoiar os manifestantes e os terroristas”, Yatseniuk afirmou que “a Rússia não conseguirá fazer da Ucrânia um Estado falido”.