Turistas pedirão via iPad para evitar preços abusivos na China

Os clientes dos restaurantes de frutos do mar de Sanya, na ilha chinesa de Hainan, escreverão seus pedidos nos iPads dos garçons

Pequim – Os clientes dos restaurantes de frutos do mar de Sanya, na ilha chinesa de Hainan, escreverão seus pedidos nos iPads dos garçons, segundo uma nova regra local para evitar que sejam enganados pelos preços locais, informou nesta quinta-feira a agência oficial “Xinhua”.

Através deste sistema, as ordens dos clientes serão armazenadas no iPad e enviadas diretamente para cozinha via WiFi. As informações ainda poderão ser acessadas pelas autoridades locais como forma de controlar as vendas e os preços, disse o porta-voz de Comércio do Governo local, Wan Qiongyun.

A medida pretende limitar os efeitos do escândalo sofrido por estabelecimentos há alguns meses, quando centenas de turistas se queixaram do enorme preço dos frutos do mar, imposto de forma aleatória pelos donos dos restaurantes, segundo “Xinhua”.

As autoridades locais também anunciaram a adoção de políticas de educação, inspeções diárias e boa publicidade para os restaurantes mais rigorosos, com objeto de aumentar a confiança dos turistas e atrair o consumo.

“O método de manipular e controlar é fácil e, além disso, beneficia os clientes, que poderão garantir os preços acertados”, disse Wan a “Xinhua”.

Mais de 20 restaurantes de mariscos de Sanya, entre os 200 estabelecidos nas praias, já iniciaram a iniciativa eletrônica, segundo a agência.