Tomate volta a puxar alta do IPC-S em agosto, diz FGV

O preço do item variou de alta 31,39% para avanço de 17,18%

São Paulo – O tomate voltou a liderar a lista dos itens que mais tiveram influência de alta no Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) na quadrissemana que encerra o mês, apesar de ter mostrado desaceleração ante a leitura anterior, do dia 22 de agosto. O preço do item variou de alta 31,39% para avanço de 17,18% nesta base de comparação.

O grupo Alimentação mostrou pequena aceleração de preços ao passar de 1,07% para 1,09%, impulsionado pela carne bovina, que apresentou taxa de 0,62% no encerramento de agosto ante -0,20% registrado na quadrissemana anterior.

Além do grupo Alimentação, apresentaram taxa mais alta no final de agosto sobre o índice do último dia 22 as classes de despesas Saúde e Cuidados Pessoais (0,46% para 0,49%), Educação, Leitura e Recreação (0,47% para 0,51%) e Habitação (0,32% para 0,47%), este último impulsionado pelo aluguel residencial, que pulou de 0,27% para 0,42% no período. Transportes (-0,34% para -0,04%) e Vestuário (-0,70% para -0,57%) tiveram suas taxas negativas reduzidas no período.

Dois grupos apresentaram desaceleração de preços da terceira para a quarta quadrissemana de agosto. Comunicação variou 0,10% no encerramento do mês, ante alta de 0,29% registrado na leitura anterior, por causa da desaceleração de preços dos pacotes de telefonia fixa e internet (0,64% para 0,18%). Despesas Diversas passou de taxa de 0,24% para 0,20% na mesma base de comparação, com destaque para o item alimento para animais domésticos (-0,01% para -0,30%).

Completam a lista dos itens que mais pressionaram por uma alta no IPC-S da quarta quadrissemana de agosto alimentos preparados e congelados de ave (de 7,01% na terceira quadrissemana pulou para 7,77%), taxa de água e esgoto residencial (de 1,15% para 1,62%), batata-inglesa (de 4,40% para 14,95%) e plano e seguro de saúde, que se manteve estável em 0,60%.

Entre os itens que contribuíram para uma pressão de baixa estão feijão carioca (de -8,84% para -9,07%), automóvel usado (de -2,31% para -0,68%), blusa feminina (de -2,05% para -1,74%), mamão papaia (de -5,74% para -6,12%) e agasalho masculino (de -7,98% para -9,60%). A próxima apuração do IPC-S será feita no dia 10 de setembro.