Suprema Corte suspende aumento do gás na Argentina

A decisão, tomada por unanimidade do máximo tribunal, é um duro golpe para o governo de Macri

A Suprema Corte argentina suspendeu nesta quinta-feira os bruscos aumentos nas faturas de gás até que aconteçam audiências públicas para fixar estas altas, promovidas pelo governo do presidente Mauricio Macri para enfrentar o alto déficit fiscal da terceira maior economia da América Latina.

A decisão, tomada por unanimidade do máximo tribunal, é um duro golpe para o governo de Macri, que esperava uma decisão que respaldasse os aumentos no gás -e portanto de todos os serviços públicos- decididos com o argumento de que as tarifas estavam atrasadas pelas políticas de subsídios da gestão kirchnerista (2003-2015).

Os aumentos de gás para os usuários residenciais foram totalmente suspensos porque não se pedoi uma audiência pública que “é de cumprimento obrigatório” e as tarifas devem retroceder às de 31 de março, um dia antes à aplicação dos aumentos.