Superávit primário tem pior resultado da série histórica

O setor público apresentou superávit primário de 1,90% do PIB, o menor percentual desde 2009

Brasília – O setor público consolidado apresentou superávit primário de R$ 91,306 bilhões em 2013, o que representa 1,90% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central, nesta sexta-feira, 31.

O valor é o menor desde 2009, quando o superávit registrado alcançou R$ 64,8 bilhões. O porcentual de 1,90% é o menor da série histórica, que começa em dezembro de 2001. Em 2012, houve superávit de R$ 104,951 bilhões (2,39% do PIB).

O esforço fiscal de 2013 foi composto por um superávit de R$ 75,291 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Os governos regionais (Estados e municípios) contribuíram com R$ 16,337 bilhões no ano.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 12,961 bilhões, os municípios tiveram um saldo positivo de R$ 3,376 bilhões. Já as empresas estatais registraram déficit primário de R$ 322 milhões.

Em dezembro de 2013, o setor público consolidado apresentou superávit primário de R$ 10,407 bilhões.

Em novembro, o resultado ficou positivo em R$ 29,745 bilhões. Em dezembro de 2012, houve superávit de R$ 22,252 bilhões. O resultado ficou próximo do piso do levantamento feito pelo AE Projeções, que variava de R$ 10 bilhões a R$ 13,7 bilhões.

O esforço fiscal de dezembro foi composto por um superávit de R$ 14,744 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Os governos regionais (Estados e municípios) tiveram déficit de R$ 3,831 bilhões no mês.


Enquanto os Estados registraram um déficit de R$ 3,959 bilhões, os municípios tiveram superávit de R$ 129 milhões. Já as empresas estatais registraram déficit primário de R$ 506 milhões.

Dívida líquida

A dívida líquida do setor público se manteve em 33,8% do PIB em dezembro de 2013, mesmo resultado de novembro. Em dezembro de 2012, estava em 35,3% do PIB. 

A dívida do governo central, governos regionais e empresas estatais terminou o ano passado em R$ 1,626 trilhão, informou há pouco o Banco Central, ante R$ 1,550 bilhão no fim de 2012, ante R$ 1,550 bilhão no fim de 2012.

A dívida bruta do governo geral encerrou o ano passado em R$ 2,747 trilhões, o que representou 57,2% do PIB. Em novembro, essa relação estava em 58,3% do PIB. Em dezembro de 2012, estava em 58,8% do PIB (R$ 2,583 bilhões).

Juros

O setor público consolidado gastou R$ 24,013 bilhões com juros em dezembro e R$ 248,856 bilhões no acumulado de 2013.

Houve queda em relação ao gasto de R$ 29,9120 bilhões registrado em novembro e alta ante os R$ 19,102 bilhões de dezembro de 2012. No acumulado de 2012, o gasto foi de R$ 213,863 bilhões.


Em 2013, o gasto com juros do setor público consolidado foi equivalente a 5,18% do PIB. Em 2012, o gasto com juros estava em 4,87% do PIB. O governo central teve um gasto com juros de R$ 19,445 bilhões no mês passado e de R$ 185,846 bilhões em 2013.

Já os governos regionais registraram uma despesa de R$ 4,304 bilhões no mês e R$ 60,314 bilhões no ano. As empresas estatais tiveram gastos de R$ 264 milhões em dezembro e R$ 2,696 bilhões em todo o ano.

Déficit nominal

O déficit nominal do setor público consolidado foi de R$ 13,605 bilhões em dezembro e de R$ 157,550 bilhões no acumulado de 2013. Em novembro, ficou em R$ 175 milhões e, em dezembro de 2012, o resultado foi positivo em R$ 3,150 bilhões.

Já no acumulado de 2012, o déficit nominal ficou em R$ 108,912 bilhões.

Em 2013, o déficit nominal representou 3,28% do PIB, enquanto em 2012 estava em 2,48% do PIB. No mês passado, o governo central registrou déficit nominal de R$ 4,701 bilhões. No acumulado do ano, de -R$ 110,555 bilhões.

Os governos regionais tiveram saldos nominais negativos de R$ 8,134 bilhões em dezembro e de R$ 43,977 bilhões em 2013. Já as empresas estatais registraram déficits de R$ 771 milhões no mês passado e de R$ 3,018 bilhões no acumulado do ano.